A Ciência Logosófica

A Logosofia foi criada pelo pensador e humanista – Carlos Bernardo González Pecotche – com a finalidade de difundir os ensinamentos logosóficos, que têm, dentre outros, o objetivo de propiciar ao ser humano os elementos que lhe permitem realizar um processo de evolução consciente. À medida que o for realizando, irá conhecendo e organizando tanto o sistema mental quanto o sensível, o que possibilita a aquisição de conhecimentos transcendentes, tais como o de si mesmo e do próprio espírito.

Os conhecimentos emanados desta Ciência são originais e oriundos de uma única fonte. O seu criador os extraiu do vastíssimo campo experimental da vida, da natureza, onde estão esparzidos os pensamentos do Criador, e da sua própria herança.

O processo de evolução consciente

Pela primeira vez na história da humanidade, esta ciência instituiu e ensina a realizar este processo, que é o ponto de partida para o  conhecimento de si mesmo e de tudo que se relaciona com a parte transcendente da vida do ser humano e do mundo metafísico ou transcendente, por meio de um método próprio, nas Instituições Logosóficas.

“Ao dar a conhecer os fatores que intervêm no que ocorre diariamente dentro do mundo interno de cada indivíduo, a Logosofia põe ao alcance do homem a chave do conhecimento causal referente a sua vida, a sua evolução e  ao seu destino. Não podem permanecer alheias a tal prerrogativa as Leis Universais, por serem as que sustentam os pilares da Criação e animam a vida de tudo quanto existe. É dever do homem não infringi-las e auspiciar, em todo momento, o selo de seus desígnios, cumprindo com seus mandatos, o que lhe outorga a segurança absoluta de seu amparo”. Dentre essas leis, destacamos a de evolução, de equilíbrio, de herança, de adaptação, de afeto, de afinidade, de caridade, de tempo etc.

Seus grandes objetivos:

“a evolução consciente do homem, mediante a organização de seus sistemas mental, sensível e instintivo;

o conhecimento de si mesmo, que implica o domínio pleno dos elementos que constituem o segredo da existência de cada um;

a integração do espírito para que o ser possa aproveitar os valores que lhe pertencem, originados em sua própria herança;

o conhecimento das Leis Universais, indispensáveis para ajustar a vida a seus sábios princípios;

o conhecimento do mundo mental, transcendente ou metafísico, onde têm origem todas as ideias e pensamentos que fecundam a vida humana;

a edificação de uma nova vida e de um destino melhor, superando ao máximo as prerrogativas comuns;

o desenvolvimento e o domínio profundo das funções de estudar, de aprender, de ensinar, de pensar e de realizar, com o que o método se transubstancia em aptidões individuais de significado incalculável para  o porvir pedagógico na educação da humanidade”.

Sinval Lacerda