A Importância Da Língua Inglesa No Ensino Fundamental

A IMPORTÂNCIA DA LÍNGUA INGLESA NO ENSINO FUNDAMENTAL

AUTOR: OTACÍLIO DO CARMO DANTAS

Resumo:

Este artigo visa tratar de forma prática o fato de que no processo de ensino, o professor de língua estrangeira deve estar ciente de que deve reconhecer a capacidade mental do aluno e ser capaz de ativá-la, fazendo com que este esteja conscientizado sobre sua importância ao decorrer desta caminhada rumo à ampliação de seu conhecimento.

Abstract:

This article aims to address in practice the fact that the process of education, foreign language teacher should be aware that it must recognize the student’s mental ability and be able to activate it, causing it to be made ​​aware of its importance the course of this road to expanding your knowledge.

INTRODUÇÃO

Através de pesquisas referentes ao tema abordado neste trabalho, pôde-se notar que no processo de aprendizagem deve-se levar em conta o aluno, o sistema educacional e a função social da língua estrangeira em questão.

Desta forma, para que o ensino de língua estrangeira tenha uma função formativa no sistema educacional, deve-se encontrar maneiras de garantir que essa aprendizagem deixe de ser uma experiência decepcionante, levando à atitude fatalista de que língua estrangeira não pode ser aprendida na escola.  “Para o ensino fundamental, os objetivos decorrem, por um lado, do papel formativo de Língua Estrangeira no currículo, mas por outro lado, e principalmente, de uma reflexão sobre a função social de Língua Estrangeira no país e sobre as limitações impostas pelas condições de aprendizagem” (PCN, p. 65, 1998)

A educação em Língua Estrangeira, neste caso, a língua inglesa na escola, contudo, pode sim indicar a relevância da aprendizagem de outras línguas para a vida dos alunos do nosso país. Uma língua estrangeira, principalmente o inglês, dá acesso de diversas formas de se conceber a vida humana como, por exemplo, à tecnologia moderna, ao mundo dos negócios, comunicação intercultural, e a ciência.

DESENVOLVIMENTO

Segundo os PCNs (p. 65, 1998):

“Uma primeira tentativa de aproximá-los da Língua Estrangeira é fazer com que se conscientizem da grande quantidade de línguas que os rodeia, em forma de publicações comerciais, de pôsteres, nas vitrinas das lojas, em canções, no cinema, em todo lugar. É verdade que o inglês predomina (…), mas há razoável quantidade do uso de outras línguas, tais como o italiano, o francês, o espanhol, o alemão, dependendo do contexto e das regiões”.

Essa diversidade de língua estrangeira tem que ser aproveitada, por isso o educador deve buscar metodologias e recursos que o auxiliam no processo de motivação dos alunos, fazendo com que eles saibam reconhecer e interagir com o mundo que está a sua volta.

Porém, para que possa haver um real desenvolvimento de competências e habilidades é preciso, primeiramente, trabalhar para buscar soluções de problemas crônicos existentes da educação brasileira, principalmente quando se fala em educação pública, como por exemplo, o despreparo de professores, falta de apoio dos órgãos púbicos, falta de interesse dos alunos etc.

Além desses fatores, deve-se buscar propor projetos que visem lançar novos desafios tanto para os professores quanto para os alunos e os motivem a mobilizar seus conhecimentos. Contudo, para que essas idealizações se tornem reais, “é necessária uma pedagogia ativa e cooperativa, voltada para toda a comunidade escolar” (SANTOS, 2001, p. 15.

CONCLUSÃO

Os educadores que lecionam língua estrangeira, sendo que neste caso estamos dando ênfase ao ensino da língua inglesa, devem se conscientizar que ensinar é criar situações de aprendizagem que contribuam para com o desenvolvimento de habilidades e de competências. Alguns se perguntam como os educadores poderão ser convencidos a repensar a sua metodologia de ensino, sendo que por muitas vezes estão habituados a cumprir meras rotinas escolares, sem motivar seus alunos, porque eles mesmos estão sem motivação.

Não basta somente que os educadores tenham competências técnicas; eles devem ser capazes de identificar e de valorizar suas próprias competências e habilidades dentro de sua profissão e de outras práticas para que assim eles possam realmente, desenvolver um bom trabalho, eficaz e promissor.

REFERÊNCIAS:

BRASIL – Parâmetros Curriculares Nacionais: Terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental: Língua Estrangeira/Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC/SEF,1998.Disponíveliiem:<http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/pcn_estrangeira.pdf>.

__________. O que é língua? Disponível em: <http://www.sk.com.br/sk-ling.html>. Acesso em 08 de março de 2010.