A mente sedutora e o dominio da vontade

O tema deste artigo é por demais interessante, pois tratará de dois assuntos muito empolgantes que é a mente habilitada a seduzir e o exercício consciente do querer.

 

O que você faria se fosse possível você se preparar de forma eficiente para reagir da forma mais acertada as investidas de outra pessoa sem ao menos ela abrir a boca? O que você faria se tivesse a oportunidade de controlar o seu magnetismo pessoal a ponto das demais pessoas interagirem com você de forma imediata sem nunca ter lhe visto e sem você ao menos pronunciar uma única palavra sequer?

 

Certamente você faria muitas coisas que tornassem possível você abrir os seus horizontes de tal modo que você realizaria os seus mais secretos intentos.

 

Você pode conseguir isto e muito mais ensinando e educando a sua mente a se tornar cada vez mais uma mente sedutora.

 

Inegavelmente a arte de seduzir implica na arte de convencer, e a arte de convencer implica na arte de saber quais são os mecanismos que a mente da outra pessoa usa para se persuadir a fazer ou deixar de fazer algo, e este último implica no conhecimento do que é, ou significa a palavra vontade.

 

Todas as pessoas de uma forma geral só fazem espontaneamente aquilo que, segundo eles próprios, é vantajoso de algum modo.

 

As prostitutas só vendem o seu corpo porque tem vontade de alcançar a recompensa por este meio. O ladrão só rouba porque tem  vontade de ter o fruto do roubo sem ter que se sacrificar em um trabalho honesto.

 

As pessoas ditas normais só fazem o que fazem porque acreditam que é mais vantajoso alcançar uma determinada recompensa fazendo uso de um determinado caminho.

 

O uso habilidoso do domínio da vontade pode levar pessoas a experimentar todo e qualquer tipo de relações sem um mínimo de esforço porque se é bem mais fácil conjugar os seus objetivos aos objetivos das pessoas do que forçá-las a cederem aos seus objetivos sem nenhuma recompensa em troca.

 

O presente artigo não discute o mérito de ações desprovidas ou não de caráter, apenas expõe a realidade de que ninguém se sente satisfeito em fazer algo em troco de nada.

 

Agora cabe a você, decidir se vale a pena ou não desenvolver os poderes de sua mente sedutora, alcançar a habilidade de conjugar as vontades e descobrir coisas que até então não lhe foram apresentadas.

Atenciosamente;

Hudson Sander

Point dos Amores

www.pointdosamores.com.br