A superação e a efemeridade

Dia desses estava relendo este texto escrito no início do ano de 2009 e pensei: como as coisas mudam. Realmente devemos viver intensamente cada minuto. Leia e tire suas próprias conclusões em relação à efemeridade do sucesso e da vida e ao mesmo o poder de superação, que pode ter certeza, todos nós temos.

– Já ouvi que a mídia pode criar ou derrubar um ídolo facilmente. Na maioria das vezes isso é verdade, mas como explicar as exceções? Parece que algumas personalidades são inatingíveis. Por mais que se envolvam em confusões, ou que a mídia “pegue no pé”, sempre saem ilesas. Às vezes, paradoxalmente, a situação desfavorável é revertida, transformada em Marketing eficaz para alavancar uma carreira. Nomes como Britney Spears, por exemplo, continuam aumentando sua legião de Fãs e lotando shows em todas partes por onde se apresentam. Mas uma coisa não há como discutir, todos que conseguem enfrentar os obstáculos, inclui-se aí a ferocidade dos Meios de Comunicação, superar maus momentos e dar a volta por cima, têm talento bem acima da média. Guardadas as devidas proporções e contextos temos três exemplos emblemáticos bem atuais: Michael Jackson, Rubens Barrichello e o jogador Ronaldo.

Enquanto alguns fazem “chacota”, renascem das cinzas nos remetendo a Fênix, que segundo a mitologia grega tinha esse poder. Mr. Michael Jackson foi acusado de abuso sexual e inocentado, mas essa última parte é sempre esquecida quando o fato é mencionado. Sempre é dito que o artista já fez dezenas de plásticas e clareamento facial pra ficar “branco”, mas raramente é mencionado que ele tem realmente uma doença de pele. E nos últimos anos o assunto é que o “astro” está falido. Não se fala do patrimônio, inclusive em direitos autorais que é na casa de bilhões de dólares. Jackson tem o álbum mais vendido da história, triller com mais de100 milhões de cópias. Por isso, e outros números estratosféricos é que a tão aguardada volta do “Rei do Pop” também apresenta números impressionantes. Os ingressos para os 50 shows anunciados para Londres se esgotaram rapidamente. E somente pelo projeto envolvendo os 12 primeiros espetáculos o cantor receberia algo em torno de 450 milhões de dólares. Sobre Barrichello, já escrevemos neste espaço, por não ter sido campeão na Fórmula Um é humilhado pela mídia. Como no Marketing os números são fundamentais, Rubinho tem dois vice-campeonatos mundiais de fórmula um, foi campeão da Fórmula Opel em 1.990, campeão da Fórmula 3 Inglesa em 91 e é penta campeão brasileiro de Kart. Faz parte de um seleto grupo dos que mais pontuaram em toda a história da Fórmula Um. São 530 pontos e 270 Grandes Prêmios disputados; recorde absoluto. Dado como aposentado no final do ano passado ele está de volta, e tem boas possibilidades com as novas regras. Em relação a Ronaldo, o nome no diminutivo da época de Cruzeiro ficou pelo caminho há tempos, ele está calando os críticos mais uma vez, mesmo visivelmente, bem acima do peso tem dado aula de futebol no Corinthians. Após uma grave contusão foi convocado para a Copa do Mundo de 2002, contra a vontade da maioria dos brasileiros e da imprensa, que queria o Romário. Resultado: eleito o melhor jogador da competição pela FIFA, marcando os dois gols da final. Falando em eleição, não podemos nos esquecer que foi o melhor do mundo três vezes. É recordista de gols em “Copas”, foram 15 nas quatro edições.

O que essas pessoas têm em comum é que, além de exímios conhecedores das áreas em que atuam, são determinadas. Quiseram voltar, ou continuar e são, de modo geral respeitosos em relação àqueles que contestam suas capacidades. Respondem, dão satisfação, sem deixar que isso exerça qualquer influência em suas atuações ou personalidades. Michael assume publicamente suas fobias e excentricidades, Barrichello até já participou de um programa de humor onde era comparado a uma tartaruga e o “Fenômeno” admite tranqüilamente nos programas de rádio e Tv, que continua gordo. Não duvidemos de nenhum deles. Os números apresentados aqui certamente sofrerão alterações durante o ano. –

Cabe ou não uma reflexão profunda?