A vida nos cobra amadurecimento pessoal e Deus o amadurecimento espiritual.

Tive em minha vida a oportunidade de tentar muitas coisas para alcançar a tão almejada prosperidade. Porém, nenhuma delas me serviram para absolutamente nada. Por apreciar o assunto e principalmente por querer ser um homem próspero procurei por anos descobrir o verdadeiro segredo para alcançar esse objetivo.  Depois de muito tempo e tentativas frustradas a custas de constantes autos e baixos finalmente consegui descobrir qual é o verdadeiro segredo para se tornar abundantemente próspero, foi a partir desse momento que decidi fazer do livro “Efeito Caixa D’Água” o caminho, não meu, mas de Alguém que possui o único conhecimento da verdadeira chave para uma prosperidade plena.

Você realmente crê em Deus?

Se você acredita em Deus porque então deveria dar ouvidos aos ensinamentos humanos e não aos ensinamentos do Criador que é dono de tudo? Deus, além de nos ter criado, criou tudo o que existe ao nosso redor; Ele é o único que detém o verdadeiro segredo da vida e por consequência de tudo o que a cerca também, inclusive a prosperidade, o melhor é que Deus não segura esse conhecimento para Si, Ele disponibiliza o segredo gratuitamente para quem quiser, basta apenas confiar Nele e dar credibilidade ás Suas palavras seguindo criteriosamente Suas regras.
Acreditei até uma certa altura da minha vida que para ser próspero bastava que fosse fiel nos dízimos e nas ofertas, mas com o tempo percebi que isso não era como pensava. Veja se não estou certo: Se uma pessoa e sua amante, um ladrão, um comprador de CDs e DVDs piratas, uma pessoa que se prostitui ou que vive erroneamente com uma outra pessoa, um sonegador de impostos ou aquelas que baixam musicas ilegalmente pela internet derem religiosamente seus dízimos e ofertas todos serão abundantemente prósperos? Será que é fácil assim? O tempo mostrou-me claramente que não. Para que possamos validar o passaporte para a verdadeira prosperidade é preciso antes de qualquer outra coisa haver maturidade e estarmos impreterivelmente de acordo com as regras divinas para ai então pensarmos em reivindicá-la em nossas vidas.
É preciso entender que a prosperidade sem estar preparado para recebê-la pode se tornar um grande problema ao invés de solucioná-los, outra coisa importante é mudar nosso entendimento em relação á prosperidade, é preciso termos a consciência que os dons, talentos e riquezas que Deus nos dá só têm sentido se for para servir outras pessoas e não apenas a nós mesmos. Pensarmos algo diferente disso torna-se-á o grande obstáculo que impedirá de prosseguirmos rumo a uma vida próspera de verdade.

 

“A prosperidade não mão de uma pessoa despreparada e desobediente poderá se tornar uma arma fatal contra ela mesma.”

Devemos entender que Deus jamais dará algo á alguém que possa prejudicá-la; portanto se uma pessoa não estiver “madura suficientemente” para receber a prosperidade é certo que Ele não a prosperará.
2) Vocês cobiçam coisas, e não as têm; matam e invejam, mas não conseguem obter o que desejam. Vocês vivem a lutar e a fazer guerras. Não têm, porque não pedem. 3) Quando pedem, não recebem, pois pedem por motivos errados, para gastar em seus prazeres. (Tiago 4: 2 e 3)
Se a prosperidade é algo que vêm de Deus o minimo que devemos fazer é ouvi-lo  e saber o que Ele tem a nos dizer á respeito desse assunto. Não adianta pegarmos um ou dois versículos da bíblia e simplesmente fazer o que eles mandam e achar que seremos abençoados e prósperos somente por essas ações. Tomar atitudes assim é uma forma de se enganar e de mostrarmos que não estamos preparados para receber a prosperidade, na verdade é não querer ver a realidade dos fatos. A teimosia de continuarmos fazendo a mesma coisa achando que isso dará certo nos distanciará cada vez mais da prosperidade ao invés de aproximar. Ficamos anos após anos fazendo a mesma coisa sem chegarmos a lugar algum.
“Devemos deixar de ser como piolhos e pararmos de andar de cabeça em cabeça.”
Vejo muitas pessoas que se dizem “entendidas no assunto prosperidade” falarem a outras que se acham menos entendidas que simplesmente basta que elas dêem seus dízimos e ofertas para se tornarem pessoas prósperas, o pior dessa história é que muitos acreditam e saem distribuindo dinheiro em forma de dízimos e ofertas, a torta e a direita sem qualquer critério; e muitas vezes fazem isso ser ter fundos suficientes para essa ação. Esses entendidos fazem crer que Deus os abençoará por esse ato de fé; será que podemos chamar isso de “ato de fé” ou podemos chamar isso de “infantilidade espiritual?”
Na verdade deveríamos sentir vergonha de dizimarmos almejando á prosperidade, contribuir para mim é uma obrigação inquestionável a qualquer Cristão com “C maiúsculo” independente se receberemos ou não algo em troca. O ato de dar dízimos almejando algo em troca já demonstra uma infantilidade espiritual, mostra que não estamos preparados para receber a prosperidade.
Veja o quanto a maioria de nós somos infantis espiritualmente, para muitas basta ouvir alguém dizer que ao dar sete pulinhos sobre as ondas terão um ano de muita prosperidade; para as outras que possui um espirito menos atlético basta apenas se vestirem com uma peça de roupa bem amarelinha na virada do ano, para os comilões basta que se encham de ervilhas, para os internautas de plantão basta atender um pedido de um e-mail dizendo que será próspero aquele que repassá-lo para cem outras pessoas.
Uma coisa é certa; a prosperidade só funciona para adultos espirituais e não para as crianças espirituais. Se você quer ser realmente próspero a primeira coisa a fazer é limpar-se antes de conceitos, pensamentos e atitudes erradas, inclusive no que se refere aos dízimos e as ofertas para depois sim tornar-se habilitado a um candidato á prosperidade.
“Minha mãe e meus irmãos são aqueles que ouvem a palavra de Deus e a executam. (Lucas 8: 21)
No caso do famoso versículo em que Deus fala que prosperará abundantemente quem dizimar, atente-se que Deus está falando diretamente ao seu povo, veja que mais adiante Jesus diz que sua mãe e seus irmãos são aqueles que ouvem e executam as palavras de Seu Pai. Deus não está falando com todos, Ele está falando apenas com aqueles que lhe obedecem, o que significa que se uma pessoa não fizer o que Deus diz o seu dizimo só estará servindo para a crescer a igreja e a obra de Deus, que já estaria de bom tamanho, mas o seu dizimo não será o suficiente para prosperá-lo.
Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim nisto, diz o SENHOR dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós uma bênção tal até que não haja lugar suficiente para a recolherdes. (Malaquias 3: 10)
Com base nesse versículo um monte de crianças espirituais começam a dar seus dízimos imaginando que serão prósperos. A final, não é o que diz o versículo? Claro que sim, mas como fica esse versículo depois de ler os versículos que vêm a seguir:
23 Portanto, se trouxeres a tua oferta ao altar, e aí te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti, 24 Deixa ali diante do altar a tua oferta, e vai reconciliar-te primeiro com teu irmão e, depois, vem e apresenta a tua oferta. (Mateus 5: 5)
Esse versículo serve também para as outras coisas erradas que fazemos, como por exemplo:
Se você possui uma amante, deixa sua oferta de de lado, resolve esse problema primeiro, depois vem e apresenta sua oferta.Se você compra DVDs piratas, deixe seu dízimo de lado, resolva esse problema primeiro, depois vem e apresenta sua oferta.Se você é um gastão compulsivo, deixe seu dízimo de lado e resolva esse problema primeiro, depois vem e apresenta sua oferta.Se você faz qualquer coisa errada, deixa seu dízimo de lado e resolva esse problema primeiro, depois vem e apresenta sua oferta.Se você é uma criança espiritual, deixa seu dízimo de lado e cresça espiritualmente primeiro.
Há uma grande diferença entre acreditar que Deus existe e crer verdadeiramente em Deus, as pessoas em geral dizem crer em Deus, mas muitas vezes não o suficiente para ouvi-lo e dar a devida credibilidade as Suas palavras, passamos nossas vidas inteiras sem dar conta da importância de Seus ensinamentos, muitos morrem sem saber nada e nem sabem porque vieram a esse planeta.
Devemos viver o momento em que estamos, devemos viver o nível espiritual que vivemos, para ultrapassarmos esse limite temos antes amadurecer. Se alguém der uma Mercedes último tipo a uma criança de nove anos, de que valerá esse presente? Com toda a certeza essa criança não saberá o que fazer com ele, se sentirá infeliz ao recebê-la, mas se dermos um carrinho de controle remoto se sentirá muito mais feliz, pois esse presente atenderá suas expectativas. Porém, se dermos a Mercedes a essa mesma criança quando ela fizer dezoito anos, o resultado será outro, com toda a certeza, ela saberá o que fazer com uma Mercedes último tipo. É por isso que muitas vezes não recebemos o que desejamos, simplesmente pelo fato de não estarmos ainda maduros o suficiente para ganhar o que queremos.
“Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino” (I Coríntios 13: 11)
A maioria de nós somos como crianças teimosas, imagino que você jamais daria uma responsabilidade de muita importância á uma criança. Creio que não seria louco o suficiente de tomar uma decisão como essa; porque então devemos achar que Deus faria isso? Porque Ele daria a prosperidade á uma pessoa espiritualmente criança? Para se machucar?
Como comentei anteriormente, eu por varias vezes estive financeiramente bem, saía de uma situação financeira medíocre, me chegava a Deus e prosperava, quando estava próspero logo estava a merce da vida boa e gastando como um louco, me divertindo e me distanciando cada vez mais de Deus, por mais que eu soubesse que não deveria me distanciar Dele, não tinha jeito a vida próspera que vivia me levava mais longe.
Quando estamos prósperos e nos distanciamos de Deus ficamos a mercê das armadilhas que o sabotador coloca em nosso caminho; deixamos de estar segurado pela seguradora Divina, a cegueira toma conta dos nossos olhos e não as vemos, e assim caímos como um patinho nas garras do inimigo.
Salomão, se tornou o homem mais próspero da história simplesmente porque ao invés de pedir á Deus prosperidade e sucesso, mostrou maturidade espiritual ao pedir sabedoria, somente alguém maduro espiritualmente pediria algo assim, foi a sua maturidade que lhe fez tornar-se absurdamente próspero.
“Irmãos, não sejais meninos no entendimento, mas sede meninos na malícia, e adultos no entendimento.” (I Coríntios 14: 20)
Quando nos deixamos ser levados como “Maria vai com as outras” estamos mostrando á Deus que não temos a maturidade suficiente de administrar a própria vida, quanto mais em administrar algo tão importante e perigoso como a prosperidade. Sim, isso mesmo, Perigoso. A prosperidade na mão de alguém imaturo será uma arma contra ela mesma. Será a arma que o sabotador usará para destruí-lo.
Uma vez ao assistir TV um apresentador disse aos telespectadores que ele sentia-se tranquilo, seguro, orgulhoso e muito abençoado por acreditar piamente em Deus; não passou muito tempo depois dessa afirmação para esse apresentador respondendo um questionamento que haviam lhe feito a respeito de uma pessoa, dizer que: “sentia um ódio tremendo por aquela pessoa”. Como é possível alguém dizer que acredita em Deus e nutrir ódio de alguém? Bom, na verdade isso é possível, afinal o Diabo também acredita em Deus, no entanto se opõe a Ele a todo instante e durante muito tempo.
“Quem crê de verdade ouve o que Deus tem a dizer e pelo menos tenta executar os Seus mandos.”
Para nos tornarmos prósperos não precisamos de qualquer coisa adicional, extraordinária ou muito menos que venha da sabedoria humana; tudo o que precisamos está disponível em nós, fomos capacitados em conseguir o que queremos em nossas vidas desde o nascimento, basta simplesmente darmos ouvidos ao que Deus nos ensina a respeito do assunto e principalmente devemos deixar de ser “espiritualmente imaturos”.
13 “Quem se alimenta de leite ainda é criança, e não tem experiência no ensino da justiça.14 Mas o alimento sólido é para os adultos, os quais, pelo exercício constante, tornaram-se aptos para discernir tanto o bem quanto o mal.” (Hebreus 5: 13 e 14)
Na verdade o fato de desconhecermos a nossa existência faz com que vivamos levado pela nossa alma, onde deveríamos ser levados pelo nosso espirito, não têm jeito a alma é uma criança e quando vivemos dirigida por ela adotamos posturas infantis perante a vida, o nosso espirito é quem deve tomar as rédias da nossa vida. O amadurecimento que Deus cobra-nos é o amadurecimento espiritual e quem nos dá as condições necessárias para amadurecermos com sabedoria, com entendimento e discernimento é o Espirito de Deus, é o Espirito Santo agindo conjuntamente com nosso espirito e não com a nossa alma.
Mas é o espírito dentro do homem que lhe dá entendimento; o sopro do Todo-poderoso. (Jó 32: 8) [ênfase adicionada]
Se você não entendeu bem, não se preocupe, mas adiante falaremos mais a respeito desse assunto.
Muitos das pessoas que se dizem entendidas em prosperidade na verdade trabalham espalhando o medo; suas conversas levá-nos ficar encurralados contra a parede, sentimos ao ouvi-los que estamos pecando contra Deus se não fizermos o que dizem. Lembro-me de algumas vezes que participei de campanhas da prosperidade com um certo sentimento de medo, tinha medo se não fizesse o que diziam estaria cometendo um enorme erro e assim não seria próspero. Essas pessoas usam da inocência, da infantilidade espiritual das pessoas para persuadi-las, induzindo-as a fazer o que querem.
Um desses cheguei apelidá-lo de “O Homem Boleto”, esse levou-me uma vez a fazer um cadastro em seu site e a partir desse momento recebia sistematicamente cartas em minha casa com palavras abençoadoras, mas sempre anexadas essas cartas haviam uma série de boletos bancários. Tudo o que o Homem Boleto mandava para minha caixa do correio (revistas, livros, cartas e presentes) acompanhava um ou mais boletos. Será que estaria errando pensar que quando mandamos uma carta abençoando alguém com um boleto anexado o objetivo principal não é abençoa-lo, mas sim o boleto que está anexado? Alguns chegam a dar “presentinhos de incentivo” para que o boleto seja pago até uma data pré-estabelecida, ainda vejo o dia de ser protestado por não pagá-lo.
Vivo eu, diz o Senhor Deus, que porquanto as minhas ovelhas foram entregues à rapina, e as minhas ovelhas vieram a servir de pasto a todas as feras do campo, por falta de pastor, e os meus pastores não procuraram as minhas ovelhas, pois se apascentaram a si mesmos, e não apascentaram as minhas ovelhas; (Ezequiel 34: 8) [ênfase adicionada]
Não são todos, mas há muitos que agem dessa forma; boa parte desses enfiam-se em dívidas imensas em nome de Deus e quando não têm os recursos suficientes para pagá-las “se desesperam’ e com voz embargada clamam ajuda na TV ao invés de mostrar sua fé e crerem que Deus providenciará o que necessitam; afinal a obra não é de Deus? O que estão fazendo não é certo? Porque então se desesperar? De certo que Deus providenciará os recursos necessários para a continuidade da obra; jamais Deus abandonará Seus verdadeiros obreiros. Não é mesmo! Pense bem, quando estamos passando problemas iguais qual é a resposta desses a nós? De certo que dirão para não nos preocuparmos pois Deus providenciará tudo o que precisamos no tempo certo, e que devemos ter fé crendo que isso acontecerá em nossas vidas.

Essas palavras só servem para nós e para eles não?
O problema é que muitos quando não administram seus ministérios de acordo com os ensinamentos divinos se enrolam na administração financeira e se metem em dividas enormes (igual a mim e a você se não tomarmos cuidado com nossas finanças) e acabam tendo como sua única saída campanhas disso ou daquilo, tudo para angariar o dinheiro necessário para sanar as “dívidas que foram erroneamente acumuladas por uma má administração”.
Não vejo problema algum uma pessoa ou instituição que trabalha com a obra de Deus comprar um avião, desde que esse avião seja para crescer a obra, e que as contas da instituição esteja no azul, mas se for para permanecer com um avião endividado isso é loucura; muitas empresas multinacionais altamente lucrativas com filiais em diversos países e estados não se dão o luxo de comprar uma aeronave, além de custar caro existe um custo altíssimo de manutenção e de gastos com combustível e salários de piloto e co-piloto. Alguns dizem que é para poder se locomover com mais facilidade. As vezes me pergunto, será mesmo? Será que para onde estão indo não poderiam ir de avião comercial, talvez não fosse o caso de administrar melhor suas agendas dando um prazo maior entre um compromisso e outro, será que para onde estão indo de avião particular não exista um misero pastor com a capacidade de desempenhar seu papel; será que fazem isso em nome de Deus ou fazem para massagear o próprio ego? O maior problema para mim é que muitos desses fazem isso com o dinheiro de pessoas que são levados a dizimar crendo que irão prosperar ao fazê-lo.
Cheguei a ouvir uma vez um desses fazendo uma campanha com objetivo angariar recursos dizendo em alto e bom som… “Irmão! Se você não possui dinheiro agora não tem problema, você poderá fazer sua oferta através do Cartão de Crédito,” e para ajudar ainda dava a bondosa opção de pagá-la “em até seis vezes”, sem juros é claro.
Quando você assume um “compromisso de pagar” 12 boletos ou utiliza seu cartão de crédito, você estará imediatamente após seu uso endividando-se. O uso do cartão de crédito é “até aceitável” quando não temos o dinheiro para pagar alguma coisa emergencial ou contanto que possui o dinheiro para pagá-lo no vencimento. Porém, de qualquer forma ao decidir usá-lo estará se endividando, portanto, desobedecendo o que Deus diz a  respeito de dividas. Lembre-se que o dinheiro usado através do cartão de crédito não é seu mas da financeira que estará lhe emprestando. O cartão de crédito nada mais é do que um “crédito pré-aprovado”, sendo assim, quando usamos esse crédito, criamos automaticamente uma divida e concomitante a essa divida o compromisso de pagá-la no seu vencimento. Então, diga-me, como fica o versículo a seguir?
“A ninguém devais coisa alguma, a não ser o amor com que vos ameis uns aos outros; porque quem ama aos outros cumpriu a lei.” (Romanos 13: 8) [ênfase adicionada]
Para mim quando alguém induz uma outra a usar seu cartão de crédito ou dar o dinheiro que não têm está levando essa pessoa a “obter dívidas”. Como pode então alguém falar sobre prosperidade em nome de Deus fazendo com que seus ouvintes se endividem? Pois é justamente a sua desobediência que lhe impedirá de ser próspero.
Não se aparte da tua boca o livro desta lei, antes medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer conforme tudo quanto nele está escrito; porque então farás prosperar o teu caminho, e serás bem sucedido. (Josué 1: 8)
Uma vez fui a uma igreja bastante conhecida em busca da minha prosperidade, cheguei um pouco atrasado e assim que entrei percebi que todos os pastores e presbíteros se vestiam com roupas ao avesso, não entendi nada do que estava acontecendo, depois de pouco tempo me senti num leilão e não numa igreja, as ofertas eram pedidas por valor, o pastor dizia quem vai ser fiel com Deus e quer ser próspero e tenha cinco reais para dar venha a frente e deposite na urna, e continuou, quem possui dez reais, venha á frente e deposite na urna e assim sucessivamente até chegar á valores bem mais altos, o interessante é que sempre havia pessoas que se levantava para ir até a urna com suas ofertas, inclusive eu,  por muito tempo a oferta que dei nesse dia perdurou como a maior que havia dado até então, isso mesmo, em nome da minha prosperidade também me levantei e fui até a tal urna. Sai de lá e até hoje não sei dizer o porque todos estavam se vestindo com roupas ao avesso, ou quem sabe tive uma visão profética e por causa da minha infantilidade espiritual ser tão grande não me dei conta disso, talvez o que Deus quisesse me dizer é que esses estariam ensinando sobre o “avesso da prosperidade”, não dei ouvido e ofertei mesmo assim, tamanha era minha infantilidade espiritual.
15 Os quais, deixando o caminho direito, erraram seguindo o caminho de Balaão, filho de Beor, que amou o prêmio da injustiça; 16 Mas teve a repreensão da sua transgressão; o mudo jumento, falando com voz humana, impediu a loucura do profeta. (2 Pedro 2: 15 e 16) [ênfase adicionada]
Devemos tomar cuidado com que ouvimos para não sermos enganados, é assim que Deus nos adverte em relação a isso:
“Igualmente hão de surgir muitos falsos profetas, e enganarão a muitos…” (Mateus 24: 11)
“Guardai-vos dos falsos profetas, que vêm a vós disfarçados em ovelhas, mas interiormente são lobos devoradores.” (Mateus 7: 15)
“Mas houve também entre o povo falsos profetas, como entre vós haverá falsos mestres, os quais introduzirão encobertamente heresias destruidoras, negando até o Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina destruição.” (II Pedro 2: 1)
“Amados, não creiais a todo espírito, mas provai se os espíritos vêm de Deus; porque muitos falsos profetas têm saído pelo mundo.” (I João 4: 1)
É claro que nem todos agem com esse propósito, outros até penso que muitos que fazem é porque lhes faltam sabedoria e agem como “Maria vai com as outras” adotando a mesma postura caminhando pelo mesmo caminho de outros sem se dar conta do erro que estão cometendo, mas não podemos nos esquecer que há também aqueles que agem sabendo exatamente o que estão fazendo.
Na minha opinião a igreja têm de ter “despesas” e “não dívidas”, é inadmissível uma instituição religiosa usar recursos advindos de ofertas e dízimos para “pagar dividas” ou usá-lo para comprar um veículo de comunicação para ter em sua grade filmes, reality show, novelas e programas com cunho mundano ou que contribuam para levar milhares ou milhões de pessoas a cometerem erros (pecados). Não creio que Deus aprove uma atitude dessas, quer seja lá o motivo; e só participa disso quem é espiritualmente infantil.
Sem dúvida alguma que a obra de Deus precisa de recursos financeiros para continuar, mas me pergunto, a que custo? Ao custo de endividamento dos Seus seguidores? É claro que não; e muito menos do endividamento de igrejas e ministérios por causa de pessoas irresponsáveis. Lembre-se que você jamais será próspero se endividando ou deixando que essas pessoas lhe induzam ao erro. Dar o seu dízimo ou oferta usando o cartão de crédito, cheque especial e principalmente sem ter fundos suficientes é errado; cresça espiritualmente e fuja desses que lhe orientam a cometer tamanho erro.
Lembre-se que “um texto fora do seu contexto poderá tornar-se em um pretexto”, vejamos um exemplo bíblico do que falo a seguir:
“Quando o valente guarda, armado, a sua casa, em segurança está tudo quanto tem;” (Lucas 11 : 21) [ênfase adicionada]
Sendo assim um comerciante de armas maldosamente intencionado poderia se quisesse usar desse texto bíblico fora do contexto como pretexto para vender suas armas.
Mas, se buscarmos entender veremos um outro versículo que nos abre a nossa mente para entender o que o versículo anterior quer dizer.
Porque as armas da nossa milícia não são carnais, mas sim poderosas em Deus para destruição das fortalezas; Destruindo os conselhos, e toda a altivez que se levanta contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo o entendimento à obediência de Cristo; (2 Corintios 10: 45) [ênfase adicionada]
Um exemplo interessante do uso inadequado de textos bíblicos aconteceram em um diálogo entre Jesus e o diabo, vejamos a seguir:
Interpretação errada: Disse-lhe então o Diabo: Se tu és Filho de Deus, manda a esta pedra que se torne em pão. (Lucas 4: 3)
Interpretação certa: Jesus, porém, lhe respondeu: Está escrito: Nem só de pão viverá o homem. (Lucas 4: 4)
Interpretação errada: 5 Então o Diabo, levando-o a um lugar elevado, mostrou-lhe num relance todos os reinos do mundo. 6 E disse-lhe: Dar-te-ei toda a autoridade e glória destes reinos, porque me foi entregue, e a dou a quem eu quiser; 7 se tu, me adorares, será toda tua. (Lucas 4: 5, 6 e 7)
Interpretação certa: Respondeu-lhe Jesus: Está escrito: Ao Senhor teu Deus adorarás, e só a ele servirás. (Lucas 4: 8)
Interpretação errada: 9 Então o levou a Jerusalém e o colocou sobre o pináculo do templo e lhe disse: Se tu és Filho de Deus, lança-te daqui abaixo; 10 porque está escrito: Aos seus anjos ordenará a teu respeito, que te guardem; 11 e: eles te susterão nas mãos, para que nunca tropeces em alguma pedra. (Lucas 4: 9, 10 e 11)
Interpretação certa: Respondeu-lhe Jesus: Dito está: Não tentarás o Senhor teu Deus (Lucas 4: 12)
Se Satanás teve a petulância de usar textos bíblicos fora do contexto para tentar persuadir Jesus a cometer um erro, será que ele ainda não usaria desse expediente através de pessoas mal intencionadas ou despreparadas para também nos enganar?
Um texto pode ser interpretado de duas formas dependendo do interesse de cada pessoa, e é justamente por esse motivo que devemos tomar cuidado e certificar-nos se o que uma pessoa está nos ensinando condiz com a verdade. E não há como saber  a verdade se você, se mantiver como uma criança espiritual.
“Contribuir com os seus dízimos e ofertas é uma obrigação, mas tudo o que for contribuir deve ser de acordo com o que você ganha e não através do crédito que que lhe dão.”

Doutor fé…