Alterações Nos Padrões Das Doenças Infecciosas E Endêmicas Na Amazônia

ALTERAÇÕES NOS PADRÕES DAS DOENÇAS INFECCIOSAS E ENDÊMICAS NA AMAZÔNIA

Loraine Sibele de Lima Cortez1 Jucianne Aparecida dos Santos Carvalho2, Daiany da Silva Araújo3, Joana D’arc Sampaio Silva de Oliveira4, Ana Paula Moreira Hirt5

1, 2, 3, 4, 5 Instituto Brasileiro de Pós-Graduação e Extensão – lorainecortez@hotmail.com; ju_carvalhorr@hotmail.com; daiannyaraujo@hotmail.com; Joana_maryjane@hotmail.com; Ana.paula.hirt@hotmail.com

O Brasil, onde a maioria da população vive em condições sanitárias precárias, o aparecimento de doenças do trato respiratório e endêmico, ocorrem freqüentemente. Tais fatores são associados às mudanças climáticas que contribuem para o aumento de algumas destas patologias. Doenças transmitidas por vetores como dengue e por outros organismos patógenos, geram graves problemas no processo de saúde – doença. A Dengue é uma patologia causada por vírus que aparece nos trópicos, transmitida por mosquitos da espécie Aedes aegypti. A sua re-ermegência coloca essa virose como um dos mais graves problemas de saúde pública do continente.

No Brasil, a 1º epidemia ocorreu em 1982, em Boa Vista, Roraima. Somente a partir de 1986, se iniciou como epidemias explosivas, que foram se expandindo por todas as regiões brasileiras. Nesse momento, o Brasil alcançou um índice endêmico elevado, devido à rápida dispersão do vetor em uma grande extensão territorial, o que propiciou a circulação do vírus em maior número de estados e municípios, expondo cada vez mais novas populações às infecções.

A Meningite é uma das infecções do sistema nervoso centrar, que acomete as meninges, causada por múltiplas etiologias, caracterizada por febre, cefaléia, vômitos, irritações das meninges e alterações no líquido céfalo-raquidiano. Seu modo de transmissão varia de acordo com o agente infeccioso, podendo ser de pessoas para pessoa, através de gotículas de secreções da nasofaringe, meninge por Haemophilus influenzae, , por via aérea, meninge tuberculosa, e de acordo com o agente etiológico, meninges virais.

Pneumonia é uma referência a infecção do trato respiratório inferior, primeiro envolve o pulmão, e constitui a principal causa infecciosa, sendo responsável por um dos maiores percentuais de receitas de antibióticos médicos. No Brasil, as pneumonias são as primeiras causas de morte entre doenças respiratórias. Por esta razão é de suma importância para biometereologia animal, fazer estudos relacionando clima e o tempo com saúde. Isso se torna uma das crescentes preocupações internacional por parte de médicos e climatologistas, à medida que aparecem mais evidências de um aquecimento global do planeta, que possa aumentar a possibilidade de que vetores ampliem suas áreas de influencia e propaguem o vírus e outros microrganismos.  Além disso, anos com ocorrência de eventos extremos, como o El Ninõ, por exemplo, estão cada vez mais relacionados com a eclosão de doenças transmitidas, principalmente, por vetores como a dengue, e também ocorre um aumento considerável de doenças respiratórias.

No entanto, faz-se necessário discutir os desafios colocados à saúde publica pela emergência e re-emergência das doenças infecciosas e parasitárias, e quais as melhores formas de enfrentá-los.

Palavras-chave: Doenças Infecciosas, Re-emergencia, Endemias