Apostasia

O sangue de Jesus nos perdoou e reconcilio com o Pai para que pudéssemos ganhar a vida eterna. Este sangue nos proporcionou a salvação orgânica, a restauração da alma. Quando somos regenerados, e nos endurecemos para a salvação da alma (pelo processo da cruz) somos alvos para o espírito da apostasia. Um incrédulo, um néscio, um impio, um recém regenerado, nunca poderá apostatar, pois os espíritos da apostasia não atuam enquanto nossa alma desconhece Cristo. Os espiritos da apostasia não estão nos ares, eles estão dentro de nós. Eles fazem parte da natureza pecaminosa do velho homem, do corpo do pecado.

A Palavra é Cristo, ela tem vida e esta vida tem uma luz. Quando a luz da Palavra do Senhor nos ilumina, os demônios se manifestam (Ef. 5:13). Somente os que conhecem a Palavra de Deus, e foram iluminados por ela, é que podem apostatar. Portanto cabe a nós decidir manifestar ou não a apostasia.

Hebreus 10:26-27 diz: “Porque, se vivermos deliberadamente em pecado, depois de termos recebido o pleno conhecimento da verdade, já não resta sacrifício pelos pecados; pelo contrário, certa expectação horrível de juízo e fogo vingador prestes a consumir os adversários”. Estes versículos se dirigiam aos crentes e não aos ímpios. Os adversários são os que nos fazem desobedecer ao que conhecemos da Palavra do Senhor. Todos os que têm pleno conhecimento da verdade devem vigiar com a apostasia.

A apostasia é a ação dos espíritos mais elevados das trevas na área da religião, da soberba espiritual, da rebelião e da divisão. A criação de um novo ministério, de uma nova igreja, ou o seguir alguém que divide o Corpo de Cristo é a mais alta expressão de apostasia.

A apostasia tem três níveis: ameno, grave e gravíssimo. O ameno é imperceptivel ao homem natural, sendo que neste estágio ainda existe tempo para o arrependimento. O grave está descrito em Hebreus 6:4-6. O gravíssimo é o estágio em que a apostasis assume o governo de todas as atitudes do homem, e este passa a viver em rebelião declarda e consciente contra Deus. Quando permitimos que os espíritos da apostasia influenciem nossa vida, estamos nos afastando das Bodas do Cordeiro, porque toda apostasia será tratada no fogo das trevas exteriores.

Hebreus 6:4-6 diz: ” É impossível, pois, que aqueles que uma vez foram iluminados, e provaram o dom celestial, e se tornaram participantes do Espírito Santo, e provaram a boa palavra de Deus, e os poderes do mundo vindouro, e caíram, sim, é impossível outra vez renová-los para arrependimento, visto que, de novo, estão crucificando para si mesmos o Filho de Deus, e expondo-o à ignomínia”. Neste trecho das Escrituras está descrito fielmente o significado da apostasia. Vemos que ela está intimamente ligada à iluminação, e iluminação não é conhecimento, mas revelação. O perigo está dentro de nós porque nosso exterior é determinado pelo que há em nosso interior. Não podemos controlar o que existe fora de nós. Não são as pessoas que nos rodeiam que são perigosas. Nós é que somos os perigosos. Se você tivesse que julgar a si mesmo, com certeza, se condenaria.Graçãs a Deus porque Ele é quem nos julaga!

O irmão que quiser se aprofundar mais na Palavra do Senhor poder ouvir a Rádio Menorah que está no ar diariamente: www.paodejuda.com.br/radios/radiomenorah.html