As normas de RSE

Diversas organizações elaboram normas para a apresentação de balanço e auditoria em termos sociais. Há normas que privilegiam os processos e os resultados, algumas que são voluntárias e outras obrigatórias, normas que abordam temas específicos, e algumas que cobrem a maior parte das questões que envolvem a responsabilidade social. Entre essas há uma iniciativa importante que é Responsabilidade Social 8000 (SA8000), que foi elaborada pela SAI (Social Accountability International), ela trata das condições de trabalho e prevê um controle independente para verificação de seu cumprimento nas empresas. Essa norma e seu sistema de controle se baseiam em estratégias comprovadas de garantia de qualidade (como a ISSO 9000) e agregam vários elementos que os especialistas em direitos humanos consideram fundamentais para a auditoria social. A norma existe desde 1997 e, entre outros aspectos trabalhistas importantes, foca o trabalho infantil, a liberdade de organização, o tempo de duração do trabalho e a remuneração.

A norma SA8000 é aplicável tanto nas empresas pequenas, como nas maiores que desejam demonstrar a quem possa interessar que lhes importa o bem estar de seus funcionários. A essência da norma é a crença de que todo lugar de trabalho deve ser administrado de maneira tal que estejam garantidos os direitos humanos básicos e que a gerência está preparada para assumir essa responsabilidade.

O sistema da norma SA8000 foi projetado segundo o modelo das normas já estabelecidas, a ISSO 8001 e ISSO 14001 que correspondem à gestão da qualidade e à gestão ambiental, respectivamente. A certificação pela norma SA8000 tem a função de validar as declarações da empresa a respeito de seu compromisso com a responsabilidade social, tornando pública sua credibilidade, aumentando assim a reputação da empresa e o nível de confiança da comunidade.

A norma SA8000 tem como objetivo a completa adoção pela empresa das exigências legais, a valorização do componente humano e o melhoramento contínuo das condições de trabalho em toda a cadeia de fornecedores, além da correta gestão da imagem empresarial, em um processo no qual se escutam as opiniões de todas as partes interessadas, tanto internas como as externas à empresa.

Muitas empresas globais já exigem a certificação da SA8000 de sua cadeia produtiva, o mesmo ocorrendo com importadores americanos e europeus de vários produtos, principalmente têxteis, brinquedos e cosméticos. No início de 2005, eram 492 empresas em 40 países que adotavam a norma de RSE. No Brasil, havia 62 empresas certificadas, entre as quais: Alcoa, Avon, Belgo-Mineira, CPFL, Marcopolo, Mendes Júnior, Multibrás, Petrobrás, SESI/PR e Suzano.