Constelações Familiares e Organizacionais

Constelações Familiares e Organizacionais

As descobertas do alemão Bert Hellinger que deram origem à abordagem  sistêmica fenomenológica, mais conhecida como constelações familiares tem  encantado o mundo e revolucionado a forma de ver os elos de amor dos sistemas  familiares.
Através dessa abordagem, Hellinger pode observar que grande parte  dos problemas trazidos pelas pessoas, mais de 50%, não tem sua origem no  histórico de vida da própria pessoa e sim, originam-se em questões, pendências  ou desordens, ou seja, em entrelaçamentos sistêmicos dentro do sistema familiar.  Questões essas, que na maioria das vezes são resistentes às terapias  tradicionais e também inconscientes para aqueles que vivenciam as dificuldades.  Dificuldades essas que são fruto de uma lealdade inconsciente que leva a  repetição de destinos difíceis.
O trabalho com as constelações familiares nos  ajuda a descobrir de que forma estamos enredados dentro do sistema energético  familiar e identificar a origem de muitos sentimentos que nos atormentam e  limitam. Sentimentos esses que muitas vezes adotamos inconscientemente de outros  membros da família.
Através do olhar sistêmico, podemos compreender que todos  os membros da família estão energeticamente presentes na estrutura familiar,  influenciando profundamente nossos sentimentos e até mesmo nossa saúde. Esse  olhar permite encontrarmos soluções para muitos problemas pessoais e conflitos  vivenciados nos relacionamentos entre casais, pais e filhos, e relacionamentos  profissionais em vários aspectos e também para empresas e instituições.

O  trabalho de constelações familiares é antes de qualquer coisa um trabalho de  reconciliação, reintegração e harmonização dos membros de uma família.
Todos  fazemos parte de um sistema (nossa família) e estamos vinculados a seus membros  e eles a nós através do amor. Um amor profundo, inconsciente e algumas vezes  inconseqüente, cego. Um amor que cura e também adoece, que traz realização e  também fracasso, que traz paz força e também conflito, um amor que segue a “ordens”, até então ocultas impostas por uma consciência que está além da nossa  consciência pessoal.
Para compreendermos melhor essas ordens, é preciso saber  quem faz parte da família, ou seja, quem essas ordens e essa consciência que não  percebemos, abarca.
Então, faz parte da família primeiramente todas as  crianças, inclusive as mortas, as que nasceram mortas ou aquelas que foram  abortadas. Isso se aplica para nossos filhos irmãos e também tios. Nossos pais e  seus irmãos (nossos tios), os avós, e as vezes algum dos bisavós faz parte.
Também faz parte aqueles que cederam lugar para que outras pessoas entrassem na  família, como antigos relacionamentos dos nossos pais e nossos. Também, todos  aqueles a cujo custo alguém da família obteve uma vantagem.
Através da  dinâmica das constelações familiares podemos trazer a luz e identificar as  questões ocultas as quais estamos enredados inconscientemente e também, se  estamos ocupando o nosso lugar certo dentro da família. A partir daí, podemos  ver os passos necessários para o processo de reconciliação e organização do  sistema familiar.
Através desse processo, podemos nos desvincular da  repetição de destinos difíceis e sensações limitantes.