Cultura Virtual e suas Gerações

Hoje vemos com  naturalidade crianças com pouco mais de quatro anos batendo fotos ou jogando com os  telefones celulares de seus pais, jogando no computador, essas crianças é a chamada “Geração Z”,  seus antecessores ou sejam os jovens nascidos após a década de 80, são os da “Geração Y”, onde hoje dominam com facilidade a internet, os Ipod, e tantos outros aparelhos digitas.

A geração Y é considerada a primeira geração que já nasceu usando a internet; Os seus pais, não querendo repetir o abandono das gerações anteriores, encheram-os de presentes, atenções e atividades, fomentando a sua auto-estima; Cresceram vivendo em ação, estimulados por atividades, fazendo tarefas múltiplas.

E a Geração X? Segundo Janelle Wilson, socióloga americana e autora de um dos mais completos estudos sobre os adolescentes, essa geração, denominada de A Geração X ou Slackers, cresceu com uma nova realidade social. Muitos eram filhos de pais separados, viviam em casa em que homem e mulher trabalhavam fora;São os nascido aos a década de 60, quando já adultos  viram surgir o videocassete, o telefone celular os jogos eletrônicos, e foram se adaptando á tecnologia digital.

A cultura digital tem crescida de forma desenfreada nos últimos 40 anos, e acaba causando alguns problemas para as gerações que dela surgem.

Entre esses problemas, um dos principais é a aprendizagem nas escolas, pois os jovens e adultos após o inicio da era digital  passam a ter rapidez de pensamento e incapacidade para a linearidade pode facilitar muito em determinadas áreas, porém em outras que exigem mais seriedade e concentração podem sofrer algumas dificuldades, para eles a informática e tecnologias da Internet é o lugar comum. Todas as suas comunicações têm lugar na internet e elas revelam muito pouca comunicação verbal e habilidades. A maioria de seus anos formativos estão sendo gastos na World Wide Web. Eles são usados para instantâneas ação e satisfação devido à internet tecnologia.

Dentro da sociedade, a atuação política destes jovens também pode se tornar bastante preocupante, afinal, a enorme quantidade de itens tecnológicos e informações desnecessárias acabam por distrair suas mentes, tornando-os, na maioria das vezes, alheios à vida política de sua comunidade, sua cidade, seu país e o próprio mundo.

E a relação da cultura digital com o espiritismo?  Podemos começar pela  Internet  que permitirá um contato mais rico com obra espírita. Onde se é possível elaborar cursos interativos, por exemplo, uma discussão da obra de André Luiz, apontando links relevantes entre os deferentes textos, e com comentários feitos por autores reconhecidos

As redes virtuais, vão formar debates, onde novos preceitos podem surgir, e certificar-se dos velhos.

Existem inúmeros grupos de estudo e discussões sobre temas espíritas na Internet. Trocar idéias e repassar opiniões onde o Espiritismo ainda é quase desconhecido.  Essa nova geração dominará e temos de nos adaptar a esta nova  linguagem e, se nós soubermos usá-la, temos um grande auxiliar do nosso trabalho, tanto para troca de idéias e textos como para pesquisa.

É importante lembrar que o Espiritismo é uma doutrina aberta aos avanços científicos, portanto, as transformações sociais, as mudanças no panorama dos conhecimentos gerais do homem  são importantíssimas.

E finalizando, os veículos  de comunicação digitais são hoje uma ferramenta  de publicidade na divulgação do movimento espírita

Uma publicidade em larga escala, feita nos jornais de maior circulação, levaria ao mundo inteiro, até às localidades mais distantes, o conhecimento das idéias espíritas, despertaria o desejo de aprofundá-las e, multiplicando-lhes os adeptos, imporia silêncio aos detratores, que logo teriam de ceder, diante do ascendente da opinião geral.”( Kardec ,Allan. Obras Póstumas-Projeto 1868, Rio de Janeiro: Ed FEB, 2001)

Marcos Paterra