ÉDIPO REI VERSUS TRISTÃO E ISOLDA

Resenha Crítica (Édipo Rei, Tristão e Isolda)

Ao modelo das tragédias gregas, Tristão e Isolda possui a mesma temática de Édipo, rei de Sófocles, ambas as obras trabalham a relação incestuosa ou covarde que nós, pobres mortais, não podemos suportar porque é inaceitável do ponto de vista moral. Tudo que envolve a relação entre parentes consangüíneos é sagrado e improfanável. E é exatamente neste ponto que é construído o enredo dessas obras. Há uma aproximação sim entre elas, embora que no item suavidade a obra de Tristão e Isolda é menos agressiva, pois Lord Mark não era de fato pai consangüíneo de Tristão e nem foi a intenção de Tristão de Isolda traírem-no.

E no final da história é muito mais SUPREENDENTE, o conflito é esclarecido e por um momento nos parece que haverá um final feliz, mas, Tristão morre lutando como um verdadeiro herói ao lado de seu pai, tirando (eximindo) assim deste herói o (a condição) mau-caratismo, neste momento, sua desonra transforma-se em honra e o final é quase feliz, já estamos trabalhando com o gênero tragédia, que o próprio nome entrega tudo. O romance dos dois amantes só foi uma desculpa para a quebra de acordo entre duas famílias.

Enquanto que Édipo apesar de inocente quanto a ter tido uma relação incestuosa com a sua mãe, ver-se em desespero quando o enigma que foi a sua vida, começa a ser esclarecido; o assassino era ele próprio, a profecia tinha-se cumprido e justamente ele, o justiceiro, havia se transformado em um carrasco, o pânico toma conta dele e a honra de Laios precisava ser lavada como sangue do rei justiceiro (Édipo).

Quando Édipo fura os seus próprios olhos, lava-se a honra do rei Laios, e Édipo passa a ter um destino pior do que a morte, conviver com a lembrança de ter vivido uma relação incestuosa com sua mãe e consequentemente ser responsável pelo o futuro horrível para os seus descendentes. O interessante é que quando ele está na condição de cego, ai é que ele enxerga as coisas como elas realmente são. Essas obras são exemplos práticos de tragédias gregas, aproximan-se quanto ao enredo e quanto ao clímax, até o desfecho trágico que é diferente das temáticas de algumas escolas literárias, onde o fim é quase sempre previsível e, por conseguinte feliz.