Em quais caminhos trilha a nossa justiça

Em quais caminhos trilha a nossa justiça

 

O Homem é uma criação divina, semelhança do Criador, embora esteja muito distante da perfeição do Criador, foi provido de livre arbítrio, o que lhes permite escolher entre o bem e o mal, o bom e o ruim, e acima de tudo escolher entre os bons o melhor. A conduta do Ser Humano é cheia de altos e baixos, porém, todos sabem que essa condição do comportamento a sabedoria pode ser esmerar. Esta circunstância exigiu a inclusão na Vida do Homem de um conceito Ético e Moral, com padrões nos ensinamentos Bíblicos e baseados nos princípios de Liberdade e Igualdade, fiscalizados pela Justiça e ordenado pelo conjunto de leis desenvolvidas pelos Homens no curso de sua existência.

O Homem dentro da sua fragilidade no aspecto perfeição, ainda bambeia nas trilhas da consagração da Justiça, o que deixa, na maioria das vezes muito a desejar, provocando prejuízos às vezes até imensuráveis e irreversíveis ao semelhante. Este fato é justificado pela aplicação da primeira emoção nas decisões, ignorando os princípios da Razão. O discernimento lhes é farto, contudo, quando a sabedoria não faz parte das suas certezas, abre-se o espaço para que as conveniências falem mais alto, conduzindo-o a um labirinto de caminhos que fatalmente o levará para saciedade carnal, e ele começa a pensar que pode tudo, a sentir-se Deus e é assim que o detentor do Poder só erra. Mas, para ele pouco importa a conotação de certo ou errado em suas atitudes, pois ele se considera o próprio Deus, assim sendo, o importante é que dentro de suas convicções ele julgou e decidiu, colecionando mais um troféu em seu armário, do que ele considera honraria.

Na historia da Justiça em todo mundo, sempre vamos ter casos onde o entendimento de Justiça passa aquém do sentido da palavra. Mecanismos são criados a fim de conter este perigoso impulso. Mas, o sentimento de honradez é uma causa de Humildade, Solidariedade, e de uma consciência solidificada sobre os alicerces da Honestidade, do Respeito, da Moral, e da Ética. Enquanto não forem estes atributos absorvido pelo Homem, mecanismos serão criados e em contrapartida, recursos serão desenvolvidos no intuito de burlar o processo de inibição dos atos iníquos.

 

Jorge Francisco