Esratégias competitivas e a produção

Objetivo deste artigo
Abordar estratégia competitiva e a Produção, sob o foco organizacional e quanto ao atendimento às necessidades dos clientes.

Palavra Chave
Estratégia competitiva
Estratégia de produção
Marketing
Processo produtivo

O desenvolvimento de produtos ou serviços, necessariamente passa pelo domínio tecnológico e de processos produtivos, depois de FORD estabelecer a produção em série o setor produtivo ganhou escala, os mercados, ampliaram-se e o mesmo tempo tornou-se necessário a diferenciação; uma vez que a produção em série perde de certa forma a personalização de produtos e serviços, tudo vira “pacotes”. Isto implica em uma necessidade das empresa investirem em processos produtivos que atendam a diversidade de necessidades do mercado, não deixando de lado os requisitos da qualidade.

Na area de prestação de serviços a diferenciação e a personalização fica muito mais competitiva; basta observarmos as companhias de telecoumunicaçãoes e suas estratégias competitivas na disputa pelos clientes e apesar de toda tecnologia e diversidade de estratégias para produzir seus serviços, tem sido as campeãs de reclamação dos clientes.

Quando as companhias oferecem um serviço que poderia ser uma vantagem competitiva e um benefecio para os clientes, percebe-se que elas oferecem “pacotes” e como é um “pacote” o cliente não consegue enxergar tudo que está dentro, ou se consegue enxargar não entende e se tenta entendê-lo, o marketing dos “beneficios” são tão fortes que bloqueiam a visão do cliente.

As estratégias de produção à partir da revolução industrial levou as empresas a padronização de produtos e processos, na maioria das vezes estratégias que não permitem a participação do cliente na produção dos produtos e serviços, segundo Martins e Laugeni (2006) “Dentro desta filosofia as empresas evoluiram até 1960, sempre com o objetivo de melhorar a produtividade e reduzir custos”

Nada de errado nisto, uma vez que os objetivos organizacionais segundo Chiavenato(1999) aifrma “Cada organização é restringida por seus recursos limitados e por isso nao podem tirar vantagens de todas as oportunidades”. Uma vez que as empresas tem sua limitação de atuação em função de seus recursos, nada mais adequado que melhorar sua produtividade e reduzir custos e com isto consequentemente ter resultados financeiros positivos.

O mesmo autor afirma que ” A eficiencia é obtida quando a organização aplica recursos na alternativa que produz o maior resultado”. mas como saber qual alternativa produzirá os melhores resultados? Isto torna-se possivel através do uso do modelo de administração moderno, através da aplicação das teorias da administração que permitam o desenvolvimento de tecnicas de: Planejar, Organizar, Dirigir, Coordenar e Controlar; ou seja aplicação dos fundamentos da administração.

Adotar uma estratégia competitiva que consiga produzir os resultados esperados para a empresa e atender as necessidades de seus clientes é um dos maiores desafios organizacionais, segundo Martins e Laugeni(2006) “a forma como a empresa aborda essas questões define sua capacidade competitiva, ou seja sua competitividade”.

Os mesmo autores apresententam ” duas esttratégias Product out (Termo ingles que significa saida de produto) a qual apresenta baixa orientação para o mercado a alta orientação para a produção” ou seja este tipo de estratégia tem sua enfâse no processo produtivo, o que interessa e a produção; outra estratégia é Marketing-in ( Termo em ingles que significa o que vem do mercado para dentro da empresa) nesta os processos produtivos são altamente infleuciado pelo mercado ou seja baixa orientação para a produção e alta orientação para os processos e para o mercado.

Uma das maneiras das empresas manterem-se no mercado é através de suas estratégias competitivas que podem levá-las a obter vantagens competitivas as estratégias competitivas tem como objetivos principal a determinação das diretrizes de atuação administrativas, financeira, de marketing e de manufatura. Percebemos a interdependencia das areas da mepresa para estabelecer suas estratégias competitivas, para tanto segundo Martins e Laugeni (2006) ” Toda empresa tem como razão de exixstir a produção de produtos ou serviços, isto torna-se possivel através da definição das estratégias de manufatura ou de operações, e através destas estratégias estabelecem seus objetivos e diretrizes quanto a: Custos, qualidade, prazos de entrega, flexibilidade e inovação”.

A diferenciação de produtos como estratégia competitiva tem suas limitação segundo Gregory Carpenter(2001) ” a visão classica da diferenciação de produtos e a de que se trata de uma descoberta: Encontrar uma dimensão amplamente valorizada, mas ainda não atendida

Apesar de toda preocupação com a estratégia competitiva e as estratégias de
produção, é possível passar despercebidas a percepção do cliente quanto à tudo aquilo
que é importante no produto ou serviço para ele, e isto pode comprometer os objetivos
organizacionais tornando as estratégias defasadas quanto a concorrência

Para Martins e Laugeni a Produção “ a Produção é entendida como um
conjunto de atividades que levam a transformação de um bem tangível em um outro
com maior utilidade acompanha o homem desde sua origem..”

O grande diferencial competitivo não está no processo produtivo, que cada vez
mais têm-se o domínio e sim na interação com o cliente, por características próprias
serviços e produtos distinguem-se na sua produção, uma delas é a não participação do
cliente na produção de produtos e por sua vez os serviços têm-se sua participação direta
em todas as fases dos processos, a tecnologia tem cada vez mais facilitado e permitido o
aumento da participação do cliente na produção; afinal como definem alguns
especialistas do marketing que o cliente é a razão a empresa existir . de acordo com
Kotler(2005) o Marketing distingue-se por poder estabelecer definições Sociais e
gerenciais” dentre estas definições estabelece que o papel do marketing é “
Proporcionar um padrão de vida superior”.

Usando este termo advindo do inglês que a produção deve ser customizada, ou
seja como definição: Produção customizada é aquela direcionada para o consumidor
conforme suas exigências, resultando num produto de seu gosto, conclui-se que o
consumidor deve ser o principal destino de todas estratégias competitivas e de
produção; quanto mais essas estratégias conseguirem traduzir às necessidades dos
clientes em produtos ou serviços mais eficazes elas serão, tanto a nível organizacional
quanto individual.

Bibliografia
CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à Teoria Geral da Administração, 5ª Edição,
1999. Makron Books, São Paulo- SP.
TIMES, Financial- Dominando o Marting, manual completo para o MBA em
marketing, Makron Books, 2001, São Paulo – SP.
SLAK, Nigel et ALL, Administração da produção, edição compacta, Editora Atlas,
2007, São Paulo – SP.