Falar sobre seus pontos positivos e negativos pode ser um desafio interessante de autoconhecimento

Depois de elaborar um bom currículo e enviar para as empresas que se encaixam com o seu perfil, chegou a hora da entrevista. Este é o momento do processo seletivo em que seu perfil pessoal e profissional será avaliado e comparado aos requisitos da vaga oferecida. “O objetivo da entrevista é permitir que o avaliador possa verificar qual é o melhor candidato para ocupar o cargo que está disponível. Conversar pessoalmente é a melhor maneira de conhecer as pessoas e o candidato tem que demonstrar que seus conhecimentos e habilidades irão contribuir com a empresa”, explica Rossana Ercole, headhunter da empresa Global Network Soluções em Carreira.

Uma questão que já se tornou frequente nos processos seletivos é sobre os pontos positivos e negativos dos candidatos. “O ideal é ir para a entrevista com tudo na ponta da língua. Separe um tempo em casa para avaliar quais são suas habilidades, suas qualidades e quais são os pontos que precisam ser trabalhados para melhorar e anote tudo em um papel ou em uma agenda. Depois escolha alguns para detalhar durante a conversa”, recomenda a headhunter.

As respostas têm que ser verdadeiras e condizerem com o seu perfil, não adianta dizer coisas somente para agradar o selecionador, pois  as exigências futuras podem revelar o que você omitiu ou mascarou. “Se você é tímido, por exemplo, diga que está trabalhando isso e que a sua timidez não é relevante a ponto de interferir nas relações interpessoais. Além disso, acontece apenas quando você está conhecendo um novo lugar e novas pessoas e que sua integração em um ambiente desconhecido é rápida. Mas nunca cite características positivas como se fossem negativas, pode parecer artificial”, ressalta Rossana.

A especialista afirma que as características devem ser baseadas no perfil do candidato e na vaga oferecida. “As competências têm que ser relevantes para o cargo. Evite dizer qualidades como pontualidade e responsabilidade, já que isto é o mínimo que uma empresa espera de um funcionário. O principal é falar sobre o que é fundamental na sua área de atuação”, observa. Por exemplo, se você trabalha na área de vendas enfatize a sua criatividade, boa comunicação e flexibilidade e cite exemplos vivenciados por você.

Rossana salienta que as respostas devem ser bem elaboradas e objetivas. “Ter equilíbrio é sempre o melhor, então não fale demais e nem deixe de destacar aspectos relevantes. Essa é sua oportunidade de mostrar os seus diferenciais e isto pode ser determinante para que o selecionador escolha você ou não. Na prática nem sempre é tão simples, mas basicamente tudo gira em torno do que a empresa precisa e do que você pode oferecer a ela”, finaliza.

http://www.gnetwork.com.br

eberson@gmetwork.com.br

41 3205-7545 / 41 3205-8575