História do chá.

O chá é a segunda bebida mais consumida no mundo, depóis da água. Existem mais de 3.000 variedades. Bebe-se desde há muitos anos e o seu consumo espalhou-se por quase todos os países do mundo.

O termo espanhol “té” (chá), deriva do dialeto chinês amoy, o que se pronuncia “tai”. Surgiu dos primeiros contatos entre comerciantes da Holanda e da china do porto de Amoy, na província de Fujian.

Segundo a lenda chinesa, foi o Imperador e erudito Shen Nung quem descobriu as propriedades e benefícios do chá. Uma das suas sábias regras foi a seguinte disposição: no período do seu reinado, toda a água destinada para o consumo humano fosse previamente fervida. Um dia, quando Shen Nung estava descansando embaixo de uma árvore de chá silvestre, uma leve brisa agitou os ramos, e assim algumas folhas caíram na água fervida. Ele achou a infusão resultante deliciosa e fortalecedora, e foi assim como descobriu o chá.

A popularidade do chá cresceu rapidamente na China. Era adotado como presente para os Imperadores e começou a ser vendido nas tabernas, negócios de venda de vinho e pousadas.

A idade de “ouro” do chá corresponde à época da dinastia Tang. O chá já não era somente um tônico medicinal e passou a ser utilizado de maneira habitual, pelas propriedades fortalecedoras como por prazer.

Hoje, o consumo do chá é muito comum em vários países do mundo, principalmente na China e na Inglaterra, sendo este último um país reconhecido como a “Capital mundial do Chá”.

A preparação do chá adota vários estilos, desde o chá quente, com licor, leite, limão, etc., até o chá gelado. Este último pode ser consumido com gelo e frutas secas. O ideal é usar a máquina de gelo para não demorar muito tempo na preparação.