Implantação de Sistemas

Prezados leitores, sou Analista de Sistemas, bacharel em Matemática e com MBA em gestão Empresarial pela FGV-RJ. Esta é minha estréia no site, logo, conto com a ajuda de todos para contribuir com a qualidade do material produzido por mim.

Na última década, lidei com varias situações ligadas a “implantações”, e minha experiência mostra que somos induzidos por fornecedores, clientes, amigos e colegas de trabalho a achar que implantar sistemas é simplesmente colocar um grande número de pessoas digitando eletônicamente o que antes era feito manualmente.

Isto é um grande equívoco, que precisa ser destacado. Implantar um sistema, seja ele tecnológico ou não, exige muito mais que uma simples instalação de software e eventual treinamento. Uma boa implantação precisa passar necessariamente por um planejamento extenso, mudança de comportamento, quebra de paradigmas e diversas outras atitudes, que senão importantes, talvez vitais para o sucesso do empreendimento.

Em minhas experiências como implantador, empreendedor e professor, descobri que a pressão por prazos pode simplesmente destruir uma boa implantação. Da escolha da melhor mesa a compra de um rack de servidores, precisamos planejar incessantemente antes de iniciar os trabalhos.

Os usuários finais devem ter lugar de destaque neste processo. É deles o calcanhar de aquiles do processo, e é sobre estes profissionais que recairá todo o ônus de fazer o sistema funcionar. Se um projeto de telemarketing usa um fone que “machuca” as orelhas da operadora, milhões de reais poderão ser perdidos pelo simples fato da dor percebida pelas profissionais, gerar um stress que cause a perda de clientes e irritabilidade no uso dos sistemas.

Na continuação deste artigo, vou discutir as etapas uma a uma. Agradeço pelas opiniões vindouras. Sem mais.