Natal, uma sincera reflexão!

No dia 25 de Dezembro o mundo inteiro comemora o Natal, mas facilmente se percebe que poucos sabem o seu real significado. Luzes, enfeites, presentes, tudo parece um jogo de marketing para vender cada vez mais. E qual o sentido disso tudo? Pouco importa… desde que se compre… o motivo é irrelevante!! Mas talvez alguém diga: “ora, o Natal é a celebração do nascimento de Jesus!!”. Bem…. isso é o que dizem… mas onde está o aniversariante? Estranha esta comemoração, não? Já imaginou como você se sentiria se na festa do seu aniversário, todos os seus convidados se saudassem e trocassem presentes somente entre eles, e não dessem nada pra você?

Pois é… mas é exatamente isso o que acontece hoje em dia, falam que no Natal comemoramos o aniversário de Jesus, mas onde está Ele? Áh, sim… as vezes lembram dele… ele está ali no presépio… tão pequeno, tão indefeso,…. é o tal de “menino Jesus”, aliás, percebem a ênfase no “menino”? Parece tão diferente do Jesus que conheço!! Porque será que insistem tanto em retratar ao Senhor como um menino, que está sempre sob o cuidado de seus pais? Não seria mais interessante descreve-lo como João o viu na Ilha de Patmos (Apocalipse 1:4-20)? Ou como o descreve o apóstolo Pedro, “aquele que Deus o fez Senhor e Cristo” (Atos 2:32)?

Não sei não, mas tenho as minhas dúvidas a respeito deste tal de menino, parece mais uma imitação barata, com muita sutileza, é claro! Aliás, não é de agora que isso acontece, pois a muito tempo o apóstolo Paulo já nos advertia que o próprio Satanás pode assumir a forma de um anjo de luz (2 Coríntios 11:14).

Houve-se falar muito também de um tal de “Espírito Natalino”!! Mas o que seria isso?? Seria uma referência ao espírito pagão de onde realmente teve início esta festa? (ler o estudo A Verdade Acerca do Natal *)?? Ou será esse espírito consumista tão presente em nossa sociedade?? Não sei não… mas, na dúvida, prefiro ficar com Espírito Santo! Esse sim a gente pode confiar, pois foi promessa do próprio Jesus (João 15:26). Entretanto, por incrível que pareça, não se houve falar nada dele!! Em compensação o “espírito natalino” está muito presente e operante!!

E quanto ao Deus Pai? Houve-se alguma coisa? Hum… será aquele velhinho de barba branca e roupa vermelha? Prá muita gente, parece que sim, aliás, percebem a simetria: “Papai Noel”? Já viram como ele possui alguns atributos que são exclusivos de Deus? Como por exemplo: onisciência (conhece cada criança, seu comportamento e o pedido de cada uma), onipresença (consegue estar em todos os lugares ao mesmo tempo para distribuir os presentes), onipotência (tem poder para julgar, fazer renas voarem e ainda para controlar o tempo) e eternidade (é sempre o mesmo por séculos).

Toda esta equivalência, não é mera coincidência! Agora, pare um pouco para pensar: será que o Natal realmente honra a Cristo? Será que ele honra ao Deus Pai, ao Deus Filho e ao Deus Espirito Santo? Acho que nem preciso responder…. sinceramente, creio que com tanta encenação e engano, o único que deve se sentir realmente homenageado é o “Pai da Mentira”. Ele e a sua “Trindade fictícia”, formada pelo Papai Noel, o Espírito Natalino e um tal de “menino Jesus” que está muito longe de ser aquele que a Bíblia descreve como Senhor e Cristo!

Sei que essa conversa pode parece muito radical e um pouco pessimista, mas simplesmente não vejo motivo nenhum para me alegrar diante de tanta falsidade e hipocrisia. Entretanto, há um motivo sim, pelo qual devemos nos regozijarmos, não somente no Natal, mas em todos os dias da nossas vidas: é o cumprimento da Profecia de Isaías:

“O povo que andava em trevas viu uma grande luz; e sobre os que habitavam na terra de profunda escuridão resplandeceu a luz…. Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; e o governo estará sobre os seus ombros; e o seu nome será: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz” (Is 9:2,6).

Aleluia!! O Senhor seja louvado, pelo seu imenso amor, por ter enviado o seu único filho, a fim de que nós pudéssemos ter uma nova chance de nos reconciliarmos com o Criador!

Celebremos a Ele, não com luzes, pinheiros ou fogos de artifícios, mas com o sacrifício de uma vida santa e totalmente consagrada ao Rei dos Reis e Senhor dos Senhores: Jesus Cristo. A Ele seja a honra, o poder e a glória para sempre. Amém.

* O texto A Verdade Acerca do Natal está disponível on-line no endereço: http://www.igrejaemcruzalta.com.br/estudos/natal.html