Nos Bastidores do que é notícia: O abandono da Saúde Pública

Diariamente nos noticiários das grandes redes de tv, temos assistido  a cenas de descaso com a saúde pública em nosso país. Os hospitais da rede pública, sejam eles da esfera municipal, estadual ou federal, vem sofrendo um processo de sucateamento nos últimos anos, fruto da incompetência e desatenção dos governos no campo da saúde.

O que vemos  são serviços superlotados, com carência de pessoal , materiais e equipamentos, ineficiência no atendimento, longas filas de espera e insatisfação dos usuários.

Como profissional de saúde, com atuação na rede pública à mais de dez anos, posso dizer, com certo conhecimento de causa que a situação da saúde pública é preocupante. Em alguns serviços, faltam insumos e equipamentos básicos e o número de pessoal é insuficiente face a grande demanda , que a cada dia aumenta ainda mais.

Também é importante pontuar a péssima qualidade do material fornecido, supostamente mais barato, mas que na prática tem seu preço majorado por licitações fraudulentas ou no mínimo suspeitas, o que gera maior gasto e, consequentemente, maior custo.

Todos temos conhecimento de que os investimentos no setor saúde no Brasil sempre estiveram muito aquém do desejável, com baixa remuneração dos profissionais e dos procedimentos  pelo SUS, materiais e equipamentos velhos ou , se novos, sem manutenção, gerando problemas no atendimento e piorando ainda mais uma situação que já é crítica.

A saúde pública no Brasil carece de maiores e melhores investimentos, na compra de materiais, na remuneração e treinamento de profissionais , melhor gerenciamento de contas , aumento da oferta de vagas e serviços especializados, aumentando a eficiência do sistema.

Ainda há um longo caminho a percorrer. Será necessária a reformulação das políticas de saúde do país, com uma maior atenção e atuação do poder público no enfrentamento desses graves problemas que já são crônicos, pois ,no Brasil,nunca foi  dado ao setor saúde a devida importância , um desreipeito a um direito fundamental. O direito à saúde.

Então, caberá à sociedade cobrar do poder público maior seriedade na elaboração e execução dos programas de saúde para um atendimento  de  forma eficiente e igualitária. Só assim o Brasil poderá ser considerado uma nação desenvolvida, com um serviço de saúde que realmente atenda às necessidades de sua população.