O Ensino Religioso nas escolas: Um breve comentário.

A Educação Religiosa foi perdendo força com a chegada da tão esperada globalização. É de conhecimento de todos os cidadãos, em especial dos profissionais ligados à educação, que dispomos de uma legislação educacional onde nos orienta como deve ser feita à estruturação das disciplinas escolares, chamamos essa legislação de Lei de Diretrizes e Bases da Educação (L.D.B.). A L. D. B orienta que o Ensino Religioso poderá ser implantada como disciplina facultativa no horário normal das aulas do ensino fundamental. (BRASIL, 1998).

É de fácil observação que dispomos de um leque de expressões religiosas atuantes em nosso país, isto porque é um direito garantido por lei pela Constituição Federal – “A liberdade de culto a qualquer expressão religiosa”, mas também sabemos que a religião oficial da nação é a religião católica. Nada mais justo do que o estudante poder conhecer a diversidade religiosa existente em sua federação em seus aspectos epistemológicos e históricos. Diante de tanta diversidade religiosa e apesar de ter uma lei que legalize a implantação do estudo religioso, não houve uma preocupação em designar um profissional específico para ocupar a disciplina, sendo ocupada por pessoas que trabalhavam com a educação básica de um modo geral. Tal ato acarretou em muitas ocasiões, certo desconforto por parte de pais e estudantes, que se sentiam constrangidos quando os professores designados para assumir o cargo, utilizavam determinadas manifestações religiosas e promoviam uma separação entre indivíduos de religiões diferentes.

O Ensino Religioso não tem como objetivo promover o preconceito nem muito menos separar cidadãos, o objetivo maior pelo qual profissionais lutam por sua implantação é para promover o conhecimento mútuo das diversas religiões, é propiciar ao indivíduo uma escolha sem que haja uma discriminação por parte do restante das pessoas que os rodeiam.

Conclui que o Ensino Religioso vai muito mais além do que estudar religiões é uma orientação cidadã onde cada participante dos encontros vai conhecer a si mesmo e vai desenvolver um sentimento ético e solidário baseado em conhecimentos espirituais, conhecimentos estes que o levará para um estado de elevação espiritual e o tornará mais centrado na vida que o espera fora dos muros da escola, pois sabemos que o maior refúgio do homem é a sua fé.

Portanto, é com esse objetivo que procuraremos despertar nos cidadãos a importância de um ensino religioso ecumênico, cujo maior personagem seja o amor ao próximo e o conhecimento de sua religiosidade individual.