“O MAU HUMOR”

“ O MAL   HUMOR ”

Recentemente,em um programa de televisão, assisti a um debate e uma exposição a respeito do “Mal Humor”. Sobre tão importante tema é relevante tecer mais algumas considerações , haja vista a enorme incidência do “mal humor” sobre as pessoas. É tão grande o número de “mal humorados” com os quais nos relacionamos no dia a dia que está ficando raro encontrarmos pessoas sorridentes em nossas relações comerciais,funcionais,empresariais,escolares e familiares. Se prestarmos atenção nos semblantes e nos rostos das milhares de pessoas que cruzam conosco nas ruas; notaremos as marcas da preocupação,ansiedade e frustrações sentidas e estampadas em suas rugas e vincos faciais. Em qualquer lugar,principalmente nas grandes cidades, as ruas estão repletas de pessoas mal humoradas,deixando transparecerem os seus sofrimentos,transtornos mentais,conflitos diversos e tristeza crescente. Para um bom analista e estudioso do fenótipo facial, a visão do rosto humano oferece uma boa compreensão do estado mental negativo de um enorme contingente de pessoas. A repercussão desse desequilíbrio humoral,de tendência crescente e universal,traz consequências desastrosas para todos. Curiosamente esta disfunção do humor é pouco analisada e raramente levada a sério pela Mídia e pelos estudiosos do comportamento humano, quando dão entrevistas e explicações nos meios de comunicação. Nota-se que esses profissionais abordam e argumentam de forma branda, superficial e pouco científica este importante tema. Acredito que essa visão simplista se deve ao fato de focalizarem mais os aspectos individual e exterior da pessoa mal humorada; aquele mal humor que ocorre de forma eventual e passageira. Tentaremos expor o assunto de forma mais aprofundada, ao mostrarmos a extensão da gravidade do mal humor a níveis individual e social. Uma pessoa pode “ESTAR” com mal humor ou “SER” de mal humor. A diferença entre o “ESTAR” e o “SER” é de grande importância para o reconhecimento de uma patologia mental. A pessoa pode “ESTAR” de mal humor ocasionado por inúmeros acontecimentos negativos que lhe ocorreram no seu dia a dia; como : perda financeira, desencanto ou rejeição amorosa,perda de parentes e amigos,crise conjugal,injustiça ou incompreensão sentidas;traumatismos físicos ou psíquicos,diagnóstico de uma doença grave,perda do emprego,etc. Como dissemos, são incontáveis os fatores psicológicos,sociais e biológicos capazes de levar uma pessoa a se comportar com mal humor ocasional ou passageiro. Já o “SER” mal humorado se difere e, na maioria das vezes, é um estado patológico. Trata-se de um transtorno crônico, originado por muitos fatores e causas psico-bio-sociais. As causas principais do distúrbio crônico humoral são os mesmos do mal humor eventual;porém, acrescidos dos fatores biológicos. Os problemas pessoais e sociais que acometem o indivíduo, se não forem resolvidos em tempo hábil, podem se tornar crônicos e a repetição do sofrimento provocará mudanças no seu comportamento,na sua fisiologia,no seu organismo e no seu meio ambiente. Desta maneira temos a compreensão de como os problemas individuais,se não resolvidos,podem se tornar crônicos e a repetição do sofrer pessoal acarretará prejuízos a todos. Falando assim,poucos creem que um indivíduo mentalmente desestruturado possa vir a afetar o meio ambiente. Vejamos um caso simples de uma pessoa com mal humor eventual(que é considerado normal), por exemplo: um vendedor de uma loja que se sinta rejeitado por sua namorada. Obviamente, ele não trabalhará de bom humor e transmitirá a sua tristeza aos colegas de trabalho,ao seu chefe e aos clientes que atender na loja. Quando sair do trabalho, se for dirigir,durante o trajeto não terá muita paciência no trânsito e por qualquer motivo poderá descarregar a sua frustração nos demais motoristas e nos pedestres; e, ao chegar em casa,por certo projetará o seu mal humor nos seus familiares; criando tensões que se estenderão pelos vizinhos,amigos da família,etc. A sua mente inconsciente(aquelas estruturas cerebrais que geram a mente inconsciente que escapa do nosso controle e da nossa vontade) “descontará” sua frustração (por ter sido rejeitado pela namorada), agredindo as pessoas do seu convívio ou nos estranhos que cruzarem o seu caminho. Veja as inúmeras consequências negativas que podem ser provocadas por uma única pessoa de mal humor;mesmo que esse seu mal humor seja passageiro,normal e eventual (a rejeição da namorada). Voltando ao seu trabalho de vendedor, é claro que ele irá perder vendas,dando prejuízos a todos. Seus colegas de trabalho e seus chefes podem rejeitá-lo e receber uma punição ou até mesmo perder o seu emprego,com consequências familiares e sociais. Se ele estuda, não deverá ir para a Escola sorridente e feliz; pois o seu mal humor o fará se comportar de forma contrária;ocasionando mais atritos, desavenças e rejeição de seus colegas e professores. Agora,analisaremos o caso de uma pessoa,cujos problemas não foram resolvidos e o seu sofrimento continuou a afetar o seu órgão maior da vida; que é o cérebro, que é o mentor da vida; a estrutura mais perfeita e importante da Natureza; é ele que constrói e destrói vidas e coisas. O cérebro produz a mente e esta o afeta em suas mais íntimas circunvoluções. Caso os pensamentos de tristeza,frustrações,dissabores,atritos e quaisquer outros sentimentos negativos continuem presentes em sua mente, as estruturas cerebrais que lhes dão suporte sofrerão distúrbios químicos, elétricos,físicos e fisiológicos. Tudo isso acarretará doenças psicossomáticas e mudanças comportamentais negativas para si e para os outros. Poderão lhe advir diversas doenças físicas e psicológicas,como hipertensão,diabetes,úlceras,câncer, agressividade e violência. Agora notamos que uma pessoa assim,não poderá se sentir feliz; e , assim,teremos mais uma pessoa agressiva,violenta e mentalmente desestruturada. Sendo infeliz, não poderá sair por aí distribuindo sorrisos e favores ! Muito pelo contrário,irá projetar(descarregar) nos outros(em nós) e no meio ambiente todas as suas frustrações,complexo de inferioridade e dissabores. Agora,extrapolemos este exemplo para todas as famílias e sociedades do Mundo! Quantos bilhões de pessoas estão,agora,neste processo de desestruturação,mental,psicológico,físico e social ! Será que as pessoas,as populações e as sociedades do mundo atual estão preocupadas com o bem-estar de cada um dos seus membros! Com mais de 6,5 bilhões de pessoas, a maior parte delas está mais preocupada com a própria sobrevivência do que ,com os cuidados,preservação e respeito aos sentimentos do seu semelhante. A cada dia, mais e mais indivíduos sofrerão carências afetiva,material e sexual,principalmente aqueles considerados “feios”, pobres ,deficientes e todos os excluídos pelas sociedades mundiais,cada vez mais competitivas e discriminadoras. Esses fatores negativos afetando continuadamente o indivíduo, o levarão a uma grande e crescente frustração, à agressividade e à violência. Imaginemos isso a nível planetário! Facilmente podemos entender porque tornou-se impossível evitar-se o aumento geométrico da agressividade,do ódio,das guerras, da criminalidade e da violência cruelmente chocantes e ferinas. Não foi adivinhando ou consultando bola de cristal que, há 27 anos passados, afirmamos em nosso livro “A Implosão do Homem” que: …”em breve,chegaremos a um tempo em que nenhum homem estará a salvo da agressividade do outro homem ”.

——————————————

Nota: O autor agradece aos Drs. Fábio Villarim e André Luíz Silveira,pelo valioso apoio técnico-informático.

São Paulo,11 de dezembro 2010

Autor: Carleial. Bernardino Mendonça;

Psicólogo-Clínico pela Universidade Católica de Minas Gerais;

Estudante de Direito da Faculdade de Direito Estácio de Sá-BH;

Escritor e Pesquisador nas áreas do Direito e da Psicobiologia .