Os jogos e brincadeiras no ensino da matemática

OS JOGOS E BRINCADEIRAS NO ENSINO DA MATEMÁTICA
AUTORA: IRENE VIEIRA PAULA MORAES

RESUMO

O jogo provém do lúdico que tem sua origem na palavra “ludus”, de acordo com pesquisas em psicomotricidade, a palavra deixou de ser considerado apenas o sentido de jogo, pois o lúdico faz parte da atividade humana a caracteriza-se por ser espontâneo funcional e satisfatório,pois na sua prática não importa somente o resultado, mas a ação e o movimento vivenciado.
O objetivo deste artigo é de analisar os jogos e brincadeiras relacionados ao ensino da matemática na Educação Infantil e do primeiro ciclo, e propiciar uma reflexão sobre a importância da atividade lúdica no desenvolvimento da criança e para o ensino da matemática, de forma a tomar o ensino –aprendizagem prazeroso e de resultados.

PALAVRA-CHAVE: Jogos, Brincadeiras, Matemática.

INTRODUÇÃO

É Função da Educação Infantil é promover o desenvolvimento global da criança;para tanto é preciso considerar os conhecimentos que ele já possui, e proporcionando a criança vivenciar seu mundo,explorando, respeitando, reconstruindo.
O lúdico na Educação Infantil tem por finalidade promover a interação social, o desenvolvimento das habilidades físicas e intelectuais dos alunos de forma a facilitar o convívio em grupos, oportunizando trocas de idéias( aprender a ouvir), regras de convívio em grupos através de jogos variados e de forma ordenada.
Segundo Nunes (2003), através do lúdico o ato de ensinar não fica preso a um único método para o desenvolvimento do processo pedagógico. As atividades podem variar desde exposições dirigidas até as atividades de participação exploratória,mas há pontos comuns intrinsecamente ligados como o interesse, a motivação e a participação ativa do aluno.A educação lúdica integra uma teoria profunda e uma prática atuante, em sua teoria além de explorar as relações múltiplas do ser humano em seu contexto histórico,social, cultural e psicológico, oferece uma prática baseada num ambiente natural da criança, isto é, através de jogos, brinquedos e brincadeiras.
Segundo Paulo Freire (1977), o jogo busca apropriar-se dos conhecimentos que exige disciplina intelectual e que toda ação educativa deve promover a pessoa sua relação com o mundo. Com objetivo transformá-lo, ninguém terá uma realidade futura feliz senão tiver no presente uma alegria real.
Diante desse pressuposto a Educação Infantil, que visa á construção de relações mais justa e humana tem que respeitar a fase e o interesse da criança.Portanto a Educação Infantil transformadora é aquela que valoriza o jogo, os brinquedos e as brincadeiras como forma da criança reconstruir a sua relação com o mundo e rever os seus conceitos.
Almeida (2003), afirma que ao brincar represente suas vivencias, mais também demonstra suas necessidades e desejos: O mundo do brinquedo é um composto, que representa o apego, a imitação, a representação e não aparece simplesmente como uma exigência de vida, mas faz parte da vontade de crescer e desenvolver.A matemática trabalhada de forma lúdica é de fundamental importância, pois oferece a criança autonomia em suas decisões tomando-a produtora de conhecimento e não executora de instruções.
A matemática é um dos integrantes do universo da criança onde aprende a contagem e a operação utilizando recursos próprios para resolver problemas do cotidiano.Neste processo evoluem de representações pictóricas para representações, simbólicas,aproximando-se progressivamente das representações matemáticas. Kishimoto (1994), cita vários autores que propõem ou utilizam os jogos nas diversas áreas do conhecimento escolar.Porém é fundamental que o jogo seja empregado com embasamento científico para não decorrer em falhas que na verdade não contribuam só deturpem esta ferramenta tão rica que é o jogo.
Ela ainda faz uma ampla revisão bibliográfica sobre a importância do uso dos jogos e brincadeiras para o ensino-aprendizagem da matemática e dentre muitos se destacam os teóricos como Piaget, Vygotsky, Bruner e Wallon que definitivamente marcam as novas propostas de ensino em bases mais científicas.Pois segundo seus estudos, os jogos têm importância fundamental para o desenvolvimento físico e mental da criança, auxiliando na construção do conhecimento e na socialização.
É recente a consciência de que o individuo não aprende apenas repetindo informações mais sim através de um aprendizado de significado, pois só assim se produz conhecimento, e tão recente quando é o fato de que precisamos olhar para a criança como criança que é tratá-la como tal, logo nosso linguajar deve estar a altura da sua compreensão, só assim faremos progresso significativo na Educação Infantil Brasileira, principalmente tocante à matemática.
Brincar ajuda a criança no seu desenvolvimento físico, afetivo, intelectual e social, pois, através das atividades lúdicas, a criança forma conceitos, relaciona idéias, estabelece relações lógicas, desenvolve a expressão oral e corporal, reforça habilidades sociais, reduz a agressividade, integra-se na sociedade e constrói seu próprio conhecimento.Com os jogos a criança desenvolve potencialidades,,ela compara, analisa, nomeia, meda, associa, calcula, classifica, compõe, conceitua, possibilitando a criança a desenvolver sua inteligência, sua sensibilidades, habilidades e criatividade, além de aprender a socializar-se com outras crianças e com os adultos.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Jogar é uma atividade natural do ser humano ao brincar e jogar, a criança fica tão envolvida com que está fazendo, que coloca na ação seu sentimento e ação. O jogo, assim como a atividade artística, é um elo integrador entre os aspectos motores, cognitivos, afetivos e sociais.
Portanto advém dessas características do lúdico (jogos e brincadeiras) ferramentas preciosas para ensinar as crianças a tão temida matemática.Já que partimos que a criança ordena o mundo a sua volta, assimilando experiências e informações e, sobretudo,incorporando atividades.
Pois através da nova metodologia o ensino da matemática se torna prazerosa e eficiente,propiciando uma situação favorável ao conhecimento e incentivando o aluno a redescobrirem uma nova prática de aprendizagem..
Enfim, inserir o Lúdico no ensino da matemática eliminará o velho estigma de “ bicho-papão”, para definir matemática.

FONTES E REFERÊNCIAS

ALMEIDA, Paulo Nunes. Educação Lúdica Técnicas e Jogos Pedagógicos.Edições Loyola 2003.11ª Ed. São Paulo-SP
ARANÃO, Ivana Valéria Denófrio. A Matemática através de brincadeira e jogos.2ª Ed. Campinas- SP:Papirus,1997.
HISHIMOTO, Tizuko Morchida.Jogo,brinquedo,brincadeiras e a educação -São Paulo,SP:Cortez Editora,2000.
BRASIL. Referencial curricular para a Educação Infantil.V. 1,Brasília: MEC/SEF,1989.
WALLON, Henri. As origens do pensamento na criança. São Paulo:Manole,1989.
VIGOTSKY, Lev.Pensamento e Linguagem.São Paulo:Martins Fontes,1998.