Os prejuizos de não saber da sua importância para os outros

Todos os seres humanos passam por inúmeras evoluções não só ao longo da história, mas ao longo de toda a sua vida particular.

Os estágios evolutivos pessoais, que é o que de fato interessa, são os mais variados, tais como: o instante que pensamos que somos todos eternamente dependentes de nossos pais na infância; o instante que pensamos que somos eternamente livres na adolescência; o instante que pensamos ser eternamente indignos da liberdade e felicidade na vida adulta.

Tais estágios evolutivos causam em muitas das vezes efeitos irreversíveis na personalidade da pessoa, onde que o fator principal é a carga emocional que vem de carona com as nossas experiências, pois se em qualquer dos estágios evolutivos acima mencionados, a experiência for positiva, maiores são as chances de termos uma personalidade revestida de auto-confiança, em campo diametralmente oposto se a experiência for negativa, e outras experiências não forem bem sucedidas, a pessoa terá uma personalidade revestida de baixa auto-estima, e aí tudo a sua volta contribuirá para a permanência do sentimento de que não é capaz. Vejamos alguns exemplos práticos no próximo parágrafo.

Na infância, se a pessoa cresce sendo constantemente repreendida, terá um pensamento de que tudo o que fizer será digno de repreensão, e na fase da adolescência certamente evitará muitos contatos, abrirá mão de muitos relacionamentos, e quando chegar na vida adulta, será uma pessoa temerosa a tudo e a todos, evitará ao máximo desagradar aqueles a sua volta.(espantado com a precisão de como parece que estou descrevendo alguém que você conhece? Este é só um dos vários estudos científicos já desenvolvidos que apresentarei de forma simples e objetiva para você em todos os meus escritos).

Certamente você deve estar se perguntando: e as fases da adolescência e vida adulta, como que acontecimentos podem influir nas minhas atitudes futuras?

Aí eu te responderei que mesmo que você leve uma vida regrada, basta um evento emocionalmente carregado para que você venha a perder a auto estima, como por exemplo as desilusões amorosas, familiares ou profissionais.

Depois de ter feito tais abordagens, acredito que você já está mentalmente preparado (a) para compreender a proposta deste artigo. Pois você me viu anunciar lá em cima no título do artigo assim :Os prejuízos de não saber da sua importância para os outros, e agora eu posso te falar o seguinte, os acontecimentos em nossas vidas, como os listados nos parágrafos anteriores contribuem para uma cegueira mental que em muitos se arrastam por toda a vida.

As pessoas acreditam fielmente que o que fazem ou deixam de fazer dizem respeito apenas a elas e a mais ninguém. Mas se você pensa assim, tenho uma péssima notícia, tudo o que você faz, independentemente se é bom ou ruim causa interferência na vida de um outro ser humano.

A grande parte das pessoas agem sem saber que suas atitudes podem mudar para sempre o curso da vida de outras pessoas, e partindo daí, penso ser esta a gênese dos nossos principais problemas sociais.  Vamos analisar alguns setores da vida, para ver se tem fundamento?

A vida é um acontecimento onde cada pessoa e suas condutas estão interligadas com outras pessoas. Pare um instante para pensar em seus familiares. Pare um instante para pensar nas suas amizades. Tenha a certeza que você faz a diferença na vida de cada um deles, portanto pense muito bem no efeito das atitudes que deseja tomar.

Certamente a comunidade científica, até onde eu sei não descobriu uma fórmula matemática de controlar as pessoas, por isso quando alguém lhe fizer algo, lembre que a sua reação tem o poder de mudar o fluxo para sempre da história não só sua, mas de alguém, entre desferir um soco em alguém e dizer para quem você considera “eu te amo”, há aquilo que se encontra como o maior poder que o ser humano possui: o livre arbítrio; o poder de mudar o destino.

Terminando este artigo, espero que você já esteja consciente que não importa o que você faça ou deixe de fazer, sempre, mas sempre mesmo, realidades nascerão da sua postura, outras vidas tomarão rumos diversos em decorrência dos efeitos de suas atitudes.

Se ainda não está convencido do poder que tem em mãos, o de alterar o rumo da história de outras pessoas, pare de ler este artigo por uns instantes e diga ou ao seu pai ou sua mãe o quanto os ama (olha que para fazer isso não tem idade), quando encontrar com alguém que você quer assumir um relacionamento, e que você saiba que possua a mesma intenção, experimente tomar a iniciativa, e aí você começará a ver que queira você ou não, você tem tanta importância para a vida daqueles que os cercam, que você pode usar o bem para delinear uma história de vida sadia deles, ou usar o mal para dar um fluxo tortuoso à história de vida dos outros e depois mais dia ou menos dia ser cobrado por uma força sobrenatural que é criadora e transformadora.

Em suma, é muito importante você ter uma auto-confiança em alta(sem exageros), para poder fazer da sua importância como ser humano, um fator determinante no seu meio. Este assunto é até tema do último tópico deste artigo, você a partir do próximo tópico estará apto a começar a fazer a diferença a sua volta.

Atenciosamente;

Hudson Sander