PENSAMENTOS

OS PENSAMENTOS

São antidades animadas que alcançam vida própria e atuam dependentes ou indenpendentes da vontade do ser humano num espaço dimensional da mente. São os agentes causais do comportamento humano.

A faculdade de pensar é a encarregada de criá-los. Podem ser próprios ou alheios, positivos ou negativos, autônomos ou dependentes da inteligência ou da vontade, intermitentes ou obsessivos.

No estado inconsciente do ser humano, os pensamentos atuam desordenadamente. Entram e saem da mente sem dar nenhuma satisfação à razão ou à inteligência.

Todos os pensamentos negativos desviam o ser do verdadeiro objetivo da vida e, juntamente, com os preconceitos e as crenças, travam o mecanismo mental, impedindo o homem de observar o que ocorre dentro de si mesmo, de reconher as suas faltas e de realizar uma verdadeira superação. Em consequência dessas falhas conduzem, inevitavelmente, para um destino comum, ao desenvolvimento da personalidade, que é, exatamente o oposto da individualidade.

Muitas vezes os pensamentos levam a pessoa a fazer o que não gostaria, impedindo-a de fazer aquilo que gostaria: isso ocorre porque sem a participação da consciência, atuam independentemente da vontade, sem nenhum controle. No primeiro caso, sobrevêm o arrependimento, a sensação de dulpa, a depressão pela falta de controle dos atos da vontade etc. No segundo, sobrevêm o desestímulo  e a falta de confiança em si mesmo.

Para eliminar a atuação desses pensamentos que impedem o ser de superar-se e evoluir é imprescindível uma vigilância e uma observação interna permanente, além da necessidade da criação de defesas mentais.

Os pensamentos nascem na vida mental como consequência  de um anelo, uma inquietude, uma necessidade, uma aspiração, um sentimento como nos ensina o criador da Logosofia, Carlos Bernardo González Pecotche.

À medida que o ser vai comprovando a  negatividade do pensamento, deve realizar um trabalho no sentido de debilitá-lo, deixando de alimentar o seu “aspetite psíquico”, isto é, impedindo a sua atuação na mente, o que contribui para o seu enfraquecimento e morte por inanição.

Devemos sanar os erros mediante a eliminação das causas que lhe dão origem.

O conhecimento dos pensamentos e das deficiências psicológicas faz parte do conhecimento de si mesmo e para que possasmos entrar em contato com nossa realidade interna e superar-nos é necessário conhecê-los, identificá-los, classificá-los e selecioná-los. Essa tarefa exige um esforço inteligente, uma observação interna constante, porque os penssamentos negativos. muitas vezes, se apresentam com vestimenta do bem, o que torna difícil a sua identificação.

DISCIPLINA MENTAL

Abrange o sistema mental em conjunto e alcança também os pensamentos. Ela é fundamental para o melhor aproveitamento das atividade nas diversas ordens da vida. A esse respeito nos ensina o pensador e humanista – Carlos Bernardo González Pecotche: “esta tem por objetivo assinalar tudo que se realaciona com a atividade do sistema mental. Seus resultados imediatos se concretizam num aproveitamente efetivo das energias internas, num volume cada vez maior da capacidade intelectual e numa economia considerável de tempo, cujo valor se torna inestimável quando é usado para consumar trabalhosas jornadas de evolução.

Sinval

Para maiores informações a respeito da Ciência Logosófica:

www.Logosofia.org.br

www.logosophy.net