Prece do Profissional de Saúde da Família

Senhor!
Neste dia e em todos os outros
Quero te pedir
Dê-me mais humildade
Não aquela dos discursos
Mas a que faz bem a comunidade
Ao conosco lidar

Dê-me mais compromisso
Dê-me mais coragem
Dê-me mais ânimo
Dê-me mais soluções
Dê-me menos cansaço
Dê-me mais desejos
Dê-me mais verdades
Dê-me mais certezas
Dê-me menos amarguras
Dê-me mais poder de convencimento
Dê-me mais opções
Dê-me mais urgência
Porque a fome não espera
E ensinar a pescar
De barriga vazia não se consegue,
Aprender nem ensinar
Depois da fome saciada
Há ânimo dobrado
E certamente o ensinamento
É muito mais aproveitado

Dê-me mais coração
Mas, aquele que dá ordens
Para deixar de lado a razão
Para aos necessitados socorrer
E conseguir convencer
“ que é preciso saber viver”
Dê-me mais silêncio
Aquele que se faz presente
Quando é necessário pra gente
Pra poder a alma ouvir
E deixá-la desabafar
Sem interromper ou obrigá-la a calar
Para falar de nossas convicções

Se não puder ,Senhor
Não tem problema
Eu consigo enfrentar a dor
De ver a minha impotência
Mas a única coisa que exijo
Se assim O permitir
É que não tire nunca
O meu desejo de ajudar

Deixe-me guerreira
Lutadora, racional, gente
Mulher, mãe, filha, neta
Amiga, paciente, médica
Enfermeira, auxiliar
Deixe-me como sou
Errando,acertando,corrigindo
Liberta,adulta,criança
Deixe-me corajosa,humana
Sensível,chorona,forte
Deixe-me assim igual a todos
Porque só assim me faço aceitar
Pelas pessoas que estão lá
Dentro do meu território
Dentro de mim
Pois, as vezes me confundo
Será que eu sou eles?
Ou será que eles são eu?

 

Senhor!
Neste dia e em todos os outros
Quero te pedir
Dê-me mais humildade
Não aquela dos discursos
Mas a que faz bem a comunidade
Ao conosco lidar

Dê-me mais compromisso
Dê-me mais coragem
Dê-me mais ânimo
Dê-me mais soluções
Dê-me menos cansaço
Dê-me mais desejos
Dê-me mais verdades
Dê-me mais certezas
Dê-me menos amarguras
Dê-me mais poder de convencimento
Dê-me mais opções
Dê-me mais urgência
Porque a fome não espera
E ensinar a pescar
De barriga vazia não se consegue,
Aprender nem ensinar
Depois da fome saciada
Há ânimo dobrado
E certamente o ensinamento
É muito mais aproveitado

Dê-me mais coração
Mas, aquele que dá ordens
Para deixar de lado a razão
Para aos necessitados socorrer
E conseguir convencer
“ que é preciso saber viver”
Dê-me mais silêncio
Aquele que se faz presente
Quando é necessário pra gente
Pra poder a alma ouvir
E deixá-la desabafar
Sem interromper ou obrigá-la a calar
Para falar de nossas convicções

Se não puder ,Senhor
Não tem problema
Eu consigo enfrentar a dor
De ver a minha impotência
Mas a única coisa que exijo
Se assim O permitir