Quem precisa falar inglês hoje?

Metade dos empregos do mercado exigem que os candidatos falem inglês, segundo levantamento do site bumeran.com, um dos maiores serviços de recrutamento da internet. “Fale inglês e aumente sua chance no mercado de trabalho”.

De acordo com um estudo do Grupo Catho, outra empresa especializada em colocação profissional, os anos de experiência pesam menos que o inglês como fator de aumento de salário. “Fale inglês e aumente seu salário”.

Um dos pontos em comum entre os universitários mais bem-sucedidos nos exames do Provão é o bom domínio do inglês, de acordo com um trabalho divulgado na semana passada pelo Ministério da Educação. “Fale inglês e seja bem-sucedido no vestibular”.

O fenômeno da globalização colocou definitivamente o inglês na relação de ferramentas básicas da maioria dos profissionais. “Fale inglês e esteja preparado para a globalização”.

Quem ainda sobrevive à custa das lições aprendidas na época do colégio tem cada vez mais dificuldade para se destacar e progredir no mercado. “Fale inglês e esteja acima da média do mercado”.

No momento da admissão, as empresas costumam aplicar testes orais e escritos para checar o conhecimento dos candidatos nessa área. “Fale inglês e esteja preparado para os testes das empresas”.

Até nos cargos hierárquicos médios, como os de gerente, por exemplo, o que as companhias desejam são pessoas capazes de se comunicar com razoável fluência no idioma. “Fale inglês e mantenha o emprego”.

A exigência é para que se possa conversar ao telefone com um cliente estrangeiro, pesquisar na internet, ler manuais técnicos e trocar e-mails curtos em inglês, entre outras situações. “Fale inglês e destaque-se dentro da empresa”.

O grau de exigência cresce à medida que o profissional sobe alguns degraus na hierarquia da empresa. “Fale inglês e suba no plano de carreira da empresa”.

(reportagem em revistas da EDITORA ABRIL)