Respingos da Ditadura

ANÚNCIO
É fato que nosso país tenha evoluído muito no que se refere à democracia desde os tempos sombrios da ditadura militar, mas também é fato que nossa democracia é muito frágil, e está longe de uma democracia plena, provas disso são o voto e o serviço militar obrigatórios, além do controle exercido pelo governo sobre meios de comunicação do país, e muitos outros fatos que não poderiam ser listados aqui.
Hoje temos dois “Brasis”, um que aparece na TV – nas propagandas do governo e das estatais – bonito, democrático, rico, uma potência mundial em plena ascenção, e outro no qual vivemos onde direitos básicos são desconsiderados, a constituição é desrespeitada frequentemente pelo próprio governo, e investidas contra a liberdade de imprensa rondam vez ou outra nossa democracia, lembram-se do caso do jornalista Larry Rohter do New York Times que em maio de 2004 foi expulso do país por falar mal do presidente Lula ?
Lula aliás, demonstra por diversas vezes uma certa tendência ao autoritarismo, quando tenta restringir a atuação da imprensa, governar usando um número absurdo de medidas provisórias, quando “compra” o silêncio dos estudantes – que derrubaram Collor – com verbas milionárias para a UNE, quando usa a espionagem e o populismo para garantir a continuidade no poder, quando incha a máquina pública com indicações políticas, são desconfortantes as fotografias de Lula ao lado de seus “amiguinhos” fidel castro, Hugo Cháves e Ahmadinejad, como um país que se diz democrático pode ter relações tão estreitas com ditaduras como estas ?
Nosso presidente vive dizendo que “com democracia não se brinca” quem dera fosse ele praticante de suas próprias palavras – coisa que já provou não ser – mas o pior é que o problema não se resume a este governo, mas vem de um longo histórico e até o momento não dá indícios de mudanças, pelo contrário, temos hoje um cenário que tende à continuidade desta política de populismo e assistencialismo que venda os olhos do povo para a realidade em que ele próprio vive. Basta parar e analisar o atual momento para constatarmos isto, um momento em que o governo faz questão de vender a imagem de um Brasil transformado, com distribuição de renda e qualidade de vida, e nosso povo mesmo morrendo em filas de hospitais, carecendo de educação e tendo que se trancar em casa por causa da violência, acredita e se orgulha deste “novo Brasil” – sinceramente, não vejo grandes diferenças entre o país em que vivemos e o nosso “velho Brasil”. Apenas a conscientização da população e o resgate dos ideais pode mudar esta realidade e nos transformar de um povo alienado para quem os maiores absurdos – como o caso do mensalão – parecem normais, em um povo crítico, que não se vende por “bolsas” e sabe enxergar além da propaganda bonita com gente sorridente.
Vamos agora torcer para que o próximo governo não seja entregue nas mãos de pessoas que já demonstraram por sua história não terem o menor respeito por nossa constituição e pelo estado democrático em que teoricamente vivemos.
ANÚNCIO