Sociedade da Informação sobre a Educação: TIC (Tecnologias da Informação e Comunicação).

As relações sociais, econômicas, políticas e culturais estão atualmente configuradas pelas comunicações. É um fenômeno decisivo nas mudanças das relações no uso da tecnologia pela sociedade da informação e que denominamos de globalização e é propiciada pela ruptura de barreiras geográficas e econômicas. Suas dimensões mais importantes são: globalização da atividade econômica, transformação de mercado de trabalho e das estruturas trabalhistas, novos modelos educativos e novas necessidades de informação, trabalho colaborativo internacional, transformação das atividades de lazer e cultura, perda de soberania dos Estados a favor de sua integração e bloqueios econômicos.

As tecnologias da informação e comunicação são um conjunto de tecnologias que permitem uma aquisição, produção, armazenamento, treinamento, comunicação, registro, apresentação de informações, em forma de voz, imagens e dados contidos em sinais de natureza acústica, óptica ou eletromagnética. As TICs incluem a eletrônica como base da tecnologia que suporta o desenvolvimento das telecomunicações, da informática e do audiovisual.

A matéria-prima apreciada no momento é a própria informação, que gera conhecimento e a capacidade para seguir aprendendo ao longo da vida.

E esse conhecimento e aprendizado têm levado os conceitos em forma de Sociedade do Conhecimento.

O importante da sociedade da informação sobre a educação é a formação e direitos onde a sociedade do futuro será uma sociedade do conhecimento. A educação e a formação será mais que nunca, os principais vetores de identificação, pertinência e promoção social. Através da educação e da informação adquiridas em uma instituição educativa, em casa, pela imprensa ou mais informal, os indivíduos serão conscientes, serão criticas e garantirão seu desenvolvimento e sua sobrevivência.

A sociedade da informação deve converter-se em “sociedade do aprendizado permanente”, o que significa que as fontes da educação e a formação devem estender-se para fora das instituições educativas tradicionais: em casa, na comunidade, nas empresas e nas coletividades sociais. Os profissionais do ensinamento necessitam de ajuda para adaptar-se a nova situação e aproveitar plenamente estas novas possibilidades.

Os profissionais necessitam adaptarem-se continuamente às mudanças e avanços produzidos na sociedade da informação. O uso das TICs e dos cursos de formação profissional contínuos e permanente devem atender a estas necessidades e está desenvolvendo um tipo de informação a distância denominado “ teleformação” que utiliza as novas tecnologias como anexo de união entre os alunos, os conteúdos e os formadores. O resultado é a formação perfeita que se encaixa em qualquer lugar e a qualquer momento.

É um aprendizado permanente, visto que a grande experiência de aprender algo novo a cada dia é um irrecusável principio de sobrevivência. Com o surgimento de novas formas de trabalho vinculados a informação, precisa-se ampliar ferramentas das TIC. A nova Economia aumenta postos de trabalho, numero de profissionais, nova forma de trabalho, muitos deles volantes, intensificando assim as condições de trabalho e com individualização e desagregação de processos.

Deste ponto de vista organizacional se pode falar de um paradigma da gestão do conhecimento que se estende como um conjunto de atividades e praticas orientada para a aquisição mais eficiente da habilidade associada a conhecimento e sua correta utilização, com um objetivo de obter os melhores resultados do desenvolvimento das atividades de uma determinada organização.

Na sociedade da informação o aprendizado será a base que permitira o desenvolvimento e o progresso das sociedades, junto com as políticas educativas que favoreceram sistemas de informações permanentes como papel crucial, e deverá atender a igualdade de oportunidade e dos diferentes setores, atender principalmente os mais desfavorecidos socialmente. Existe atualmente a necessidade de facilitar o acesso à internet a toda à população, independente do seu gênero e situação econômica, e que os sistemas educativos públicos possibilitem tanto o aprendizado, como a informação no uso das tecnologias, das informações e das comunicações.

A instituição educacional é o veículo hoje mais apropriado para dar acesso aos indivíduos de menor renda ás TICs, podendo diminuir ou ate evitar desigualdades sociais produzidas pelo uso diferencial da tecnologia de informação em função do nível socioeconômico. Professores, alunos e a própria comunidade devem receber treinamentos e ter direitos quanto ao uso dos equipamentos implantados numa instituição educacional. Devem ser criados programas que venham atender as necessidades sociais com objetivos de se criar uma sociedade independente, capaz de decidir seu próprio destino.