Um Caminho Sobremodo Excelente

Na 1ª espístola de Paulo aos Coríntios, no capítulo 12, o apóstolo nos fala sobre os dons espirituais: línguas, profecias, revelação, dons de cura e etc… Entretanto, o último versículo deste capítulo, me chama muito a atenção “…e eu passo a mostrar-vos um caminho sobremodo excelente”. Não há dúvidas de que os dons descritos anteriormente são extremamente importantes e poderiam ser considerados como “excelentes”, mas existe algo que é ainda mais importante que tudo isso, um caminho “sobremodo excelente”, e no capítulo 13 nós temos umas das mais belas descrições sobre o amor: “ainda que eu fale as línguas dos homens e dos anjos… ainda que eu tenha tamanha fé a ponto de transportar os montes… sem amor, eu nada seria”.

Esse texto repleto de poesia e beleza revela um princípio assustador: todos os meus dons e ministérios, tudo aquilo que eu acho que posso fazer para Deus na tentativa de agrada-lo pode ser simplesmente reduzido a nada se faltar um único detalhe: o amor!

Mas Paulo não é o único a falar sobre a importância do amor, a Bíblia inteira é repleta desta mensagem, João chega a afirmar que “Aquele que não ama, não conhece a Deus, pois Deus é amor” (1 Jo 4:8) e o próprio Jesus resumiu toda a lei em apenas dois mandamentos, amar à Deus e amar ao próximo (Mt 22: 37-40).

Mas Jesus também profetizou que nos últimos dias o amor esfriaria (Mt 24:12), infelizmente isso não tem se cumprindo apenas entre os incrédulos, mas também no meio da igreja. Atualmente muitos buscam dons espirituais e ministérios, querem ser profetas, presbíteros, músicos, etc… E não estou dizendo que isso é errado, afinal o próprio Paulo diz “buscai com zelo os melhores dons” (1 Co 12:31), entretanto, creio que deveríamos ter um zelo muito maior em buscar o Dom Supremo.

Acredite, a igreja hoje, não precisa de pastores mais eloqüentes, músicas mais modernas ou coreografias bonitas, a igreja precisa de mais amor! Não um amor condicional como vemos no mundo, mas um amor que tudo sofre, tudo crê, tudo espera, e tudo suporta (1 Co 13:7).

É importante salientar, que quando a Bíblia fala de amor, não está se referindo a um sentimento, mas a uma atitude, e é por isso que amar é um mandamento, não depende do que estamos sentindo, devemos obedecer por fé. O amor deve ser demonstrado de maneira prática “Filhinhos, não amemos de palavra, nem de língua, mas de fato e de verdade” (1 Jo 3:18).

Era esse tipo de amor que estava presente na Igreja de atos, e é por isso que dia a dia acrescentava-se os que iam sendo salvos (At 2:47). O mundo não conhece este amor, assim como não compreende o amor de Cristo na cruz, mas nós, como discípulos, que sabemos e temos experimentado o quanto Jesus nos ama, devemos demonstrar este amor em nossas vidas, para que o mundo creia. Só assim, estaremos cumprindo o maior mandamento que o nosso mestre nos deixou: “Amai-vos como eu vos amei” (Jo 13:34). E conseqüentemente cumpriremos também a sua Grande Comissão (Mt 28:19-20).

Que Deus derrame da sua unção sobre nossas vidas e nos de graça para andarmos neste caminho sobremodo excelente.