Violão – praticando com teoria

A primeira coisa que todo estudante de violão deve fazer, após aprender os primeros princípios básicos, é praticar. Aprender a tocar, conhecer o instrumento, criar intimidade. Chamar o violão de “oi” e não de “vossa excelência”.

Por dois motivos: o primeiro – óbvio – é porque a essência da coisa está em saber tocar. O segundo – não tão óbvio – é praticamente “psicológico”. Um estudante de violão que não toca pelo menos duas ou três músicas simples em seus dois ou três primeiros meses de aula, pode acabar desanimando e largando aos poucos os estudos.

É mais ou menos como quando te ensinam complicadíssimas equações no colégio. Você faz uma samba do crioulo doido com os neurônios e pra quê? Para poder passar no exame. Porque a esmagadora maioria das pessoas passa o resto da vida sem saber para que servem aquelas equações.

Voltando ao violão

A situação ideal então, é – no começo – praticar bastante, deixando a teoria num segundo plano. Teoria nesta fase, só o estritamente necessário.

Porém, uma vez dominadas as primeiras músicas, o avanço deve ser feito nos dois lados. Teoria e prática. Sim, porque ficar tocando e tocando sem saber o que se está fazendo, também é contraproducente.

Alguém que já estuda violão por mais de um ano e não sabe o que é a escala cromática ou não tem idéia de do que sejam acordes relativos, está pulando etapas, prejudicando seus estudos.

Violão com teoria

É difícil dizer qual seria a proporção ideal entre teoria e prática no estudo de violão. Principalmente para aqueles (muitos) que estudam por conta própria, pela internet, por exemplo.

Numa escola por frequencia, cabe ao professor avaliar se o aluno sabe em teoria aquilo que aprendeu na prática. Ou seja, se sabe o que está fazendo.

Já quem estuda por si mesmo, precisa auto-avaliar seu progresso. Se este é o teu caso, jamais deixe de questionar:

  • Quais notas formam este acorde?
  • Porque estes acordes estão nesta música?
  • Qual é a tonalidade desta música?
  • Posso tocar esta música em outra tonalidade?

Estes são apenas alguns exemplos.

Outra dica: procure conversar com outras pessoas que tocam e estudam violão. A respeito de violão, é claro. Deixe o futebol para depois. Você com certeza ouvirá coisas que talvez não conheça. Pergunte à pessoa. Ou vá correndo à internet, que está cheia de informações úteis. É só procurar nos lugares certos. Seguem abaixo três destes lugares. Sites onde você pode achar boa informação.

Acordes de violão

Violão Mandrião

Violão Brasil