Vou pro cèu…da boca da onça

VOU PRO CÉU… DA BOCA DA ONÇA.

(a simplicidade  do evangelho parte II )

Posso começa este artigo com bastante simplicidade, dizendo que o evangelho de cristo o poder de Deus, é para a salvação do crente, ou em outras palavras, é para todo o que crer.( falei isto no meu outro artigo que escrevi) http://evangelho1.blogspot.com/2010/12/simplicidade-do-evangelho.html

Não sei quem foi que acrescentou outros elementos na implicação da salvação! Em um pequeno diálogo com um rapaz evangélico, pode perceber  que ao mesmo tempo que  esta verdade pulsa no coração gospel, ela acaba sendo recheada de legalismo imbecil. Simplesmente ou posso dizer estupidamente, isto é incrível! No fundo, no fundo sabe-se  que aquele que  invocar o nome do senhor será salvo. Para isto tem que crer no Senhor Jesus, sendo assim quem não crer estar condenado, pois não foi possível acreditar no unigênito de Deus. Simplesmente isto é rejeita a graça de divina.

Mas evangelicamente e religiosamente acrescentam-se alguns elementos do tipo: tem que aceitar Jesus como senhor e salvador, passa a ter conhecimentos das sagradas escrituras e fazer parte de uma igreja. Tudo engloba uma formula religiosa.

Uma destas formula é a de aceitar Jesus, sendo a confissão publica com os lábios. Isto já é em si totalmente legalista. Puro mito tradicional da igreja protestante. Primeiro se ouvi o apelo, que é aquele momento em que o pregador pergunta quem quer aceita Jesus, depois se levanta a mão e encaminha-se a frente do púlpito ou altar. Então ta tudo bem! Já para a igreja romana, a coisa muda e complica mais ainda, pois fora da mesma  e  fora da caridade não há salvação. A entrada no reino depende deles…

Comento tudo isto, pois sei que a intenção maior é vê a pessoa na igreja. Aconteceu comigo. Sabia que era pela fé, mas não deixava de ser legalista! Meu discipulado era uma lista enorme do que pode e não pode. Graças a Deus, hoje entendo que o verdadeiro discipulado começa no dia a dia da pessoa que se uniu a cristo, e agora vive a fé.

Quanto ao crê, envolve o coração neste âmbito, humanamente não pode se enxergar o âmago do interior humano. Só então pela fé floresce interiormente o reino de Deus, expandindo-se exteriormente. E tudo vem do senhor, o autor e consumado da fé.

Lembro  do dialogo  que tive com um rapaz Evangélico, ele lamentava-se pela perdição do seu pai. Vitima de ataque cardíaco devido à nicotina. Falava de como ele estava desviado da igreja e da fé. Logo repliquei, pois afirmei que somos incapazes de saber se fulando ou beltrano ganhou ou perdeu a salvação. Pois  isto é intimo do coração do homem, só Deus é capaz de penetrar. Logo ele me confirmou que certa irmã, na qual falava de frases de arrependimento de seu pai, dando a entender que ele sabia da sua própria salvação. Não era como ele imaginava!

Sendo evangelista, sei que a mensagem da cruz produz fé nos corações. Nisto tenho o direito e privilegio de fazer, dizendo quão grande salvação, para que haja fé nos corações. Daí em diante é Deus que entra no controle.

Pois pela fé mesmo na simplicidade do evangelho consegue-se penetra em sua profundidade. Isto é reino! Simples mais  intensamente profundo, pois fala-se de arrependimento, conversão e regeneração.

Coloquei no titulo deste artigo uma pequena frase, que falei brincando, enquanto mantinha um breve dialogo no meu ambiente de trabalho. Estava realizando um serviço em quanto o gerente passou por mim e disse:

– Gloria a Deus! Uma alma se salvou hoje. Vai ser arrebatado, vai pro céu!

Eu repliquei brincando:

– só se for o céu da boca da onça!

( sei muito bem sobre o mito cristão de mora no céu)

Ele continuou

– você tem muitas coisas a presta conta com Deus. Tem que pagar tudinho.

Eu de imediato respondi:

-já esta pago. Não devo mais nada a Deus. Minha dívida foi paga na cruz!

Ele respondeu negativamente.

Isto  que digo é pra quem crer na graça de Deus.por que onde a muito pecado a graça de Deus torna-se múltiplas vezes superior!

Já esta pago na cruz!!!