A Sensibilidade do Profissional de Enfermagem

A SENSIBILIDADE DO PROFISSIONAL DE ENFERMAGEM

A ferramenta primordial do profissional da área de enfermagem é a sensibilidade. As tecnologias das ciências da vida estão cada vez mais avançadas e sofisticadas em sua abordagem na relação aos males do corpo, mas nada disso substitui o valor do sentimento humano.

A enfermagem é uma das raras profissões que mesclam o científico com o humano, além de orientar e tratar o paciente atua diretamente na prevenção de doenças e na produção de pesquisas.

A profissão surgiu da necessidade e do desenvolvimento na evolução das práticas da saúde. Anteriormente era exercida de forma empírica, por pessoas sem preparo técnico e tinha o respaldo no misticismo. A prática domiciliar de partos era associado ao trabalho feminino, dividiam estas tarefas as mulheres de classe social elevada e os sacerdotes nesta época eram considerados os (médicos).

Após vários períodos, surge a “Florence Nightingale uma das precursoras da enfermagem”, pertencia à família de origem nobre, com imenso desejo de servir ao próximo, mas não recebia aprovação de sua família. Nascida em 12 de maio de 1820, em Florença, Itália, era filha de ingleses. Possuía inteligência incomum, tinha seus objetivos, propósitos, determinação e perseverança. Tudo que era quase proibido para as mulheres em sua época. Participou da guerra da Criméia em 1853 a 1856, na atual Ucrânia onde revolucionou a assistência aos feridos da guerra que era ineficiente, recrutando 38 mulheres, entre religiosas e leigas para que pudessem auxilia – lá na missão.

Florence Nightingale fundou a escola de enfermagem no Hospital Saint Thomas em Londres, que serviu de modelo para as demais escolas fundadas posteriormente. Onde seu objetivo era preparar enfermeiras multiplicadoras de conhecimentos. Naquela época o médico era a única pessoa qualificada para ensinar, e era sua responsabilidade de decidir quais funções seriam exercidas pelas alunas de enfermagem. Florence faleceu em 13 de agosto de 1910, aos 90 anos de idade deixando florescer o ensino da enfermagem.

No Brasil, “Ana Neri foi uma das precursoras da enfermagem moderna”, seu nome foi homenageado na primeira escola de enfermagem oficializada pelo governo federal, após o reconhecimento de seu papel na assistência aos soldados brasileiros na guerra do Paraguai de 1864 a 1870.  Ana Justina Ferreira Néri nasceu na vila de Cachoeira de Paraguaçu-BA, em 13 de Dezembro de 1814, Ana Néri faleceu no Rio de Janeiro – RJ, no dia 20 de Maio de 1880. Ela é considerada a matriarca da enfermagem no Brasil.

Existem inúmeras competências e habilidades que devem ser desenvolvidas no período da formação e na trajetória desta profissão. Entre elas: caráter, responsabilidade, ética, amor pela profissão, boa vontade, atenção, compreensão e empatia. Esta atividade de cuidar do próximo é de pura e ampla essência em assuntos de cuidados ao ser humano

Algum tempo atrás a atenção dos profissionais da saúde se limitava aos cuidados e ao atendimento dos pacientes, e pouco se preocupava com a própria saúde em seu ambiente de trabalho. Hoje é reconhecido que os profissionais da área da saúde, assim como em qualquer segmento de atuação estão sujeitos aos riscos das suas atividades laborais. Desta forma estão expostos aos acidentes de trabalho, as doenças profissionais e ocupacionais.

Nos dias atuais as escolas técnicas e as faculdades de enfermagem estão com alto nível pedagógico de ensino-aprendizagem, e também no que diz respeito a toda sua infra-estrutura em sala de aula, laboratórios e nos estágios supervisionados, preparando o futuro agente da área de saúde, para as diversidades que irão encontrar no seu dia-a-dia.

A enfermagem é a ciência e a arte do cuidar, fundamentalmente necessário a todos os povos e a todas as nações. É preciso manter a preservação da vida e da saúde dos seres humanos em todos os níveis sociais.

DOZE DE MAIO DIA DO PROFISSIONAL DA ÁREA DA SAÚDE

Uma Homenagem aos Alunos do Curso de Enfermagem da FOYER Escola Técnica