Felicidade

Tem muita gente tonta que acredita em felicidade pronta e esquece-se de produzi-la. Apega-se ao passado para sofrer no presente, comprometendo o futuro. Ontem à tarde, enquanto eu fechava um negócio, um indivíduo, ao meu lado, submetia-se a uma entrevista de emprego.

Perguntou o entrevistador: O senhor, de fato, considera-se apto?

Respondeu o entrevistado:  “No meu tempo… na minha época… Ah, se fosse ontem…”. Pessoas assim são inservíveis para o mundo real, pois já decidiram aposentar-se da vida. São os aposentados de plantão numa eterna acomodação.

Resultado: INAPTO. É… com seus roncos, os tontos perdem pontos.

Lembre-se: “Não temos o direito de consumir felicidade sem produzi-la”

(George B. Shaw).