Ver imagens e vídeos engraçado faz bem à saúde.

O hábito de rir ultrapassa os limites da alegria, pois auxilia pessoas que apresentam quadros depressivos e síndrome do pânico. Segundo pesquisadores, a risada expande as artérias e o estresse mental as contrai.

Liberação do ar, contração do diafragma e estímulo das cordas vocais são resultados sentidos em todo o corpo, depois de uma boa risada. Vários estímulos são percebidos ao rir, e estes percorrem todo o cérebro, essencialmente a parte do comportamento que está ligada à região frontal do mesmo, estimulando assim as áreas motoras da face e de outras partes do corpo. A melhoria do equilíbrio da neurotransmissão é favorecida através da liberação de endorfinas. A risada pode elevar o astral, a autoestima e o amor próprio das pessoas.

A pessoa bem-humorada encontra respostas criativas quando o lado direito do cérebro é estimulado e ele, consequentemente, desperta a intuição, o sentimento, a percepção e a sensação.

Parece que assistir a comédias faz melhorar a função circulatória, isso explica a afirmação popular: “uma boa gargalhada faz bem à saúde”. Parece realmente trazer numerosos benefícios para o organismo.

Mas o contrário também é verdade, quando se assiste filmes com cenas perturbadoras, a função circulatória parece alterar-se, mostrando que o stress mental pode criar uma instabilidade no organismo.

É um “tratamento” fácil de seguir, económico e sem contra-indicações, é algo que devemos fazer todos os dias, segundo o Dr. Michael Miller, da Universidade de Maryland, em Baltimore. “Dê umas boas gargalhadas todos os dias,” diz ele. “Eu penso que é bom para si.”

Num estudo realizado pelo Dr. Miller, foi medida a capacidade de dilatação da artéria braquial de 20 voluntários saudáveis e não fumadores, antes dos testes para servir de medida de referência. Utilizando uma braçadeira para apertar a artéria do braço, após soltá-la, mediram a capacidade de dilatação da artéria. “Uma veia saudável se dilata mais”, afirma o Dr. Miller. Assim, “os vasos sanguíneos saudáveis estão menos sujeitos a formar coágulos. Se as pessoas têm uma saúde endotelial (camada celular que reveste o interior dos vasos sanguíneos) fraca, tem mais possibilidade de sofrer de problemas do coração”, acrescenta Miller.

A seguir, os pesquisadores pediram para os participantes assistirem ao filme “Resgate do Soldado Ryan” e depois à comédia “King Pin”, e repetiram o teste após cada filme

Depois de visionarem o “Resgate do Soldado Ryan” – que faz as pessoas sentirem-se stressadas – verificou-se que as veias dos participantes se dilatavam menos do que a medida de referência. Mas depois de assistir à comédia “King Pin”, aconteceu o oposto – as suas veias dilatavam-se mais do que a medida de referência.

Quando o nosso corpo está sob stress, nós produzimos hormonas que podem causar alterações no endotélio. O endotélio tem um efeito pontenciador do tónus dos vasos regulando assim o fluxo sanguíneo. Segrega químicos que ajustam a coagulação e a consistência do sangue, e outras substâncias como resposta a ferimentos, irritações ou infecções. Também possui um papel importante no desenvolvimento de doenças cardiovasculares. Pesquisas recentes sugerem que os efeitos do stress duram cerca de 45 minutos, mas se o stress é forte e contínuo, pode alterar permanentemente a pressão arterial, afirma Dr. Miller.

Dr. Michael Miller e seus colegas apresentaram seus estudos, durante um encontro na American College of Cardiology, em Orlando, Flórida.

Um grupo de pesquisadores no Japão descobriu que pessoas com hipoglicémia, tinham uma ligeira subida na taxa de açúcar no sangue após a refeição, quando assistiam a uma comédia ou viam algum programa humorístico.

Outras pesquisas afirmam que, com apenas algumas boas gargalhadas, podemos reforçar o sistema imunitário e reduzir o stress.

Pedro Junior.

Autor do blog:

http://bloghilariante.blogspot.com/