A máquina tirou o emprego do Homem?

O mundo evoluiu mais nos últimos 60 anos do que toda a sua história. E nesta evolução as tecnologias eletrônicas e elétricas avançaram de forma surpreendente.

Também é fato de que o intervalo entre as grandes descobertas vem se diminuindo. As descobertas estão acontecendo cada vez mais rápido entre uma e outra.

Muito se questiona sobre a substituição do homem pela máquina em tarefas que antes eram exercidas por pessoas, e que resultou e vem resultando na perda de seus empregos em todo o mundo. Todos nós conhecemos ou conheceu alguém que se queixou que perdeu seu emprego por que a empresa onde se trabalhava ampliou sua automação e dispensou seus funcionários.

Entre diversos formatos de tecnologias, seja qual for a tecnologia, e que exerça tarefas distintas, sempre necessitarão profissionais desenvolvedores de novas técnicas de sua construção e atualização, situação que gera mão de obra e empregos.

Podemos mencionar aqui algumas profissões que nasceram com o avanço das tecnologias, como exemplo, analistas de sistemas, programadores, engenheiros de software, engenheiros de eletrônicos, web-design, entre muitas outras. Sendo estas as profissões mais conhecidas em se falando de tecnologias, mas existem inúmeras outras.

Entre os cargos criados com o avanço tecnológico a programação é um cargo que podemos ramificar sua atuação, quem conhece a área de programação sabe que existem inúmeras linguagens, e que um único programador se especializa em média em duas linguagens.

Cargos comuns e mais antigos também seguem junto com a onda tecnológica, por exemplo, uma empresa que fabrica software, precisa de uma pessoa para a limpeza, manutenção predial, uma recepcionista, e etc.

Existem produtos e costumes que hoje incluímos em nossa rotina que em pouco tempo atrás não existiam. Como exemplo os telefones celulares, computadores, impressoras, e etc. Para estes produtos se é necessário uma cadeia de empregos e profissionais envolvidos no seu desenvolvimento, fabricação, distribuição e manutenção. Sem contar os terceiros como agências de marketing, agências de emprego, entre outros tipos de empresas que atendem organizações ligadas a cadeia de tecnologia.

Já a internet é hoje uma ferramenta muito útil, já podemos afirmar que indispensável em nossa realidade, inclusive se você estiver lendo este texto é prova real deste fato. Refletindo sobre, é fácil perceber quanta mão de obra está envolvida no mundo da internet, se falarmos somente na construção de sites, que era uma realidade que pouco tempo atrás não existia, sabe-se que uma empresa atualiza em média semestralmente seu site, e que existem empresas que esta atualização é diária, gerando mão de obra e empregos. E não precisamos ir longe para citar empresas como exemplos deste fato.

Estas tecnologias são de conhecimento de todos, que estão no dia à dia da massa, de todos nós. Mas existem tecnologias envolvidas dentro da indústria como um todo, e seus softwares, onde teremos muito mais tecnologia para exemplificar e cadeias muito maiores de pessoas envolvidas. E relembrando, estas cadeias antes não existiam.

Atualmente foi de conhecimento público onde dois diferentes desenvolvedores criaram veículos que circulam por uma determinada cidade sozinhos, sem a necessidade do ser humano para guiá-los. Poderemos em breve entrar num táxi sem motorista e ser uma situação comum.

Analisando este exemplo, a ausência de um motorista num táxi irá gerar uma redução de custo no serviço, claro que após a tecnologia deixar de ser novidade, mas que não vem ao caso neste momento. Neste exemplo, o consumidor em si poderá obter mais poder de compra, e por conseqüência a massa de consumo irá poder comprar mais, comprando mais se necessita fabricar mais, aquecendo uma cadeia que irá gerar outros tipos de empregos. Mas este é um exemplo que deve ser pensado de forma macro econômico. Onde uma série de tecnologias estaria beneficiando o homem.

Alguns poderão defender do que seria do taxista, que dirigiu anos um táxi e agora está desempregado. Bom, é fato dita pela realidade que ele terá que se adaptar e reaprender. Se o mundo mudou mais nos últimos 60 anos do que em sua inteira existência, não faz sentido o comportamento do homem não mudar e não se adaptar nesta nova realidade.

Já na realidade brasileira se percebe que não faz sentido dizer que a máquina tirou o emprego do homem. Em dezembro de 2011 o Brasil chegou ao nível de desemprego de 4,7% . Esta porcentagem nunca foi alcançada desde que este índice começou a ser gerado pelo IBGE em 2002.

E um agravante é que o Brasil vem importando muito manufatura da China, situação que exportou nossos empregos para a China.

Do ponto de vista recursos humanos, não se trata de um segredo a situação que o mercado como um todo tem uma grande deficiência de mão de obra qualificada. Estima-se que se todas as pessoas desempregadas no Brasil se tornassem da noite para o dia pessoas qualificadas, não teríamos desemprego percebido. Então culpar o avanço tecnológico não faz sentido.

Devemos refletir sobre o avanço tecnológico de forma mais madura, e participar dele e de tudo que ele pode nos oferecer. Por que se batermos o pé de dizermos que somos contra a tecnologia e culparmos o avanço tecnológico por fracassos do homem, sinceramente, nada vai mudar, a tecnologia continuará evoluindo e somente perderemos nosso tempo.

Então precisamos buscar a compreensão de como devemos nos posicionar e ganhar nesta realidade que muda cada vez mais rápido a cada dia.

Fonte: Empresa Angrakxus – www.angrakxus.com.br