A verdadeira caridade

Com base nos elementos extraídos da ciência logosófica, pude concluir que , para a prática da verdadeira caridade, é fundamental termos consciência do bem que vamos levar aos seres para que, ao se beneficiarem com a ajuda, possam levar avante essa corrente de bem.

Recordo-me de que, muitas vezes, antes de iniciar o estudo dessa ciência, ficava esperando passiva e ingenuamente a ajuda de Deus, pelo fato de desconhecer a necessidade de fazer por merecer essa ajuda, que viria somente por meio do meu espírito e que, para consegui-la, teria que me acercar dele através de um processo integral de superação.

O maior exemplo universal de caridade nos dá o Criador que desce até nós, pelas Leis Supremas de sua Criação, para nos orientar e corrigir nossos erros por meio dessas leis e também de seus Pensamentos manifestados permanentemente em toda a Criação. Ao sentir essa benevolência do Criador, surge dentro de mim o desejo de dar continuidade a essa corrente de bem pelo bem mesmo, o que me proporciona uma grande satisfação.

A superação individual requer uma constante superação de conceitos e de conduta, em conformidade com as Leis Divinas, que atuam incessantemente em todas as nossas ações.

A Logosofia faz uma ampla referência sobre essas leis e ensina, por meio da realização de um processo de evolução consciente, a atuar de acordo com os seus preceitos, o que nos dá a segurança de seu amparo. Ao fazermos o bem com inteligência, conforme prescreve a Lei Universal de Caridade, além de sentirmos um grande contentamento, aliviamos a carga negativa acumulada ao longo da nossa existência.

Martinho

Para mais informações sobre a Logosofia e a Fundação Logosófica:

www.logosofia.org.br