Sem essência não existe aprendizado

Antes de concluir o segundo grau, em meio a uma angustia de se libertar do terceiro ano, falei pra um colega que eu gostaria de ver todos depois de formado reunido na escola pra comentar sobre a vida que cada um tinha levado. Doce ilusão apenas, por que não nos vimos mais, e eu acabei fazendo essas analises sozinho. Não porque eu quis, mas as coisas me forçaram de tal forma, que sempre que encontrava com um colega, me dava vontade de escrever um pequeno texto sobre aquela pessoa, sempre lembrando do cazuza que dizia que via o futuro refletir o passado.

E assim foi. Eu lembro do meu terceiro ano da turma das esforçadinhas. Compunha um grupo de quatro pessoas. Sempre responsáveis, mas que nunca rendiam no que faziam. Hoje elas se encontram fazendo áreas naturais. Área que eu considero a de pessoas que nem fedem nem cheiram: Biólogos, fisioterapeutas, contabilistas, administradores. Quando não, estão trabalhando no caixa da loja santo antonio a espera de algo melhor com a cara esticada juntamente com os cabelos por uma aste, toda emperiquitada.

Existia também o grupo das lindonas, nossa com seus traseiro enormes, andavam geralmente no fundão, sempre maquiadas atrás de garotões playboys.Essas eu nunca vi tomar jeito na vida, sempre as vejo trabalhando no comércio geralmente como operadoras de caixa,em pé o dia todo nos botequins e como a loja e do tamanho dos seus sonhos isso pode variar de acordo com a forma que desejam,geralmente se forem muito bonitas e se cobrar um pouquinho mais, vão trabalhar na oi, vivo ,tim , claro,lojas insinuantes,no balcão da ricardo eletro, quando sonham baixo,vão vender argolas,quinquilharias para mulheres que não tem o que fazer da cidade,geralmente são espertonas demais ficam grávidas cedo geralmente o filho é deixado para a mãe criar enquanto vão para as festinhas.Voce encontra muito na praça padre mateus a espera do dono do frigosaj, da comapel , da são luiz ou de um imbecil qualquer que tenham um temperamento igual.

E tem aquelas que nem dessa forma sonham em trabalhar ou fazer nada, como nunca se interessam por nada o que restam e vender o corpo para os bordeis da vida.Como dificilmente irão passar na faculdade, a depender da família, vão estudar em faculdades particulares geralmente a distancia ou quando não, vão se vender para pagar faculdade.

Os garotões fortes e viris seguem a mesma linha,vão fazer um curso de informática ,para operarem o balcão da loja dos outros,o maximo que podem receber em troca um reconhecimento do trabalho por cumprir disciplinadamente os horários como manda o figurino,vão pra ilha de itaparica atrás das “piriguetes” malhadoes nunca irão encontrar pessoas de boa índole,geralmente será pessoas do seu nível ou inferior,pois fazem questão de se manterem pobres de espírito pro resto da vida.Vao andar sempre na moda,mentindo pra si e para os outros, sempre irão viver de aparências, passarão a viver na transitoriedade da ultima moda, pois só assim terão reconhecimento.Suas economias será para comprar uma moto e andar com uma gatinha que não sabe abrir a boca em conversas mais rebuscadas.Vão se prender fácil ou do contrario vão ficar mantendo relações superficiais com varias e vão se iludir tanto quanto as otárias que ficam no seu pe.Nunca vão conhecer outros lugares,e se conhecerem lugares mais interessantes ,sempre terão uma analise medíocre do local.

Os nerd’s da minha sala, se venderam, foram falsos, se perderam no meio do caminho, os ditos promessas, geralmente se tornaram pessoas apolitizadas,mecânicas,pouco criativas, que só sabem responder logicamente como o sistema manda.São considerados os capatazes de movimentos estudantis com discursos de pouca mudança.Foram dez na escola, mas são nota zero na vida,são anti-sociais,donos da verdade, o sistema educacional desestablizou-os o conhecimento tornou a todos eles imbecis.Muitos fizeram a escolha errada, esperava-se médicos viraram professores,esperaram-se grandes cientistas e viraram engenheiros de baixo escalão, outros estão fazendo inúmeras graduações mas não conseguem criar algo de útil e bom para a sociedade ou ate mesmo criar soluções para o mundo.E tão menos se tornaram pesquisadores.Só irão encontrar sentido enquanto sociedade quando as suas convicções se esmoronarem, ou quando lerem livros de auto –ajuda falando de evolução espiritual e moral.

E você leitor em qual desses você se encaixa?Ten-se o perfil de todos os alunos ou não tem de nenhum?

Fazendo caminhada uma vez, lembrei de minha mãe quando encontrou o seu aluno, vindo drogado em nossa direção. E ela disse: aquele menino foi meu aluno e olha como esta acabado?E eu fiquei me perguntando e a senhora quando estava em sala, o que fez por ele para que ele ficasse daquele jeito?Do que valeu aquele um ano que ele passou sentado se ninguém chegou a tocar em sua essência?

Outro caso lembro de uma antiga professora vendo o seu aluno nos jornais cometendo assaltos e liderando o trafico no bairros.E ela nem queria pensar o que ela estava fazendo dentro de sala para mudar a realidade daquele aluno.

Eu sou favorável de uma educação que vislumbram a essência do ser.De muito tentaram explicar as coisas com teorias, e “epstemes” mas nunca falamos de alma, de psique.O bom professor penso ser aquele que consegue modificar a estruturas descritas e olhar para dentro.

De ser capaz de tornar um playboy vazio em um estudante que se interesse pelo saber.Do inteligente que não tem sociabilidade , um ser ativo e inteligente socialmente e que possa aliar o que aprendeu para o bem comum, que a periguete possa entender o quanto é divertido e prazeroso fazer pesquisas e entender o mundo que a rodeia.

Por que sem essência ,sem tocarmos na essência dos indivíduos em sala, a escola continuará sendo simplesmente um mero depósito de alunos.

Danillo Cerqueira Barbosa é estudante de física na Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, professor e escritor. Texto escrito em 17/02/2010 E-mail: danillo1987@hotmail.com