Multinacionais investem em curso de inglês para funcionários

Cada vez mais presidentes de multinacionais adotam o inglês como língua oficial da empresa. Mas como seria isso? E o idioma nativo dos funcionários? Um artigo da revista Havard Business Review mostra que está sendo muito recorrente, principalmente entre as empresas que tem sede em todo mundo, a utilização do inglês para gerar uma comunicação comum a todos os setores da empresa. E as multinacionais estão até investindo no aprendizado do inglês para seus funcionários.

Isso começou com a dificuldade que algumas empresas têm quando vão fazer reuniões de negócios com outras empresas, clientes ou potenciais clientes em países onde a língua é diferente. Se não há uma língua comum essa comunicação fica comprometida, fazendo com que tanto emissor quanto receptor fiquem sem entender nada.

Outro problema também é a presença de setores responsáveis pela funcionalidade da empresa estarem localizados países diferentes. Um exemplo é que se o setor de Tecnologia da Informação de uma empresa fica em um país e funcionários de outro país, com idioma diferente, necessitam de uma ajuda, talvez esse problema demore a ser resolvido.

Se não existir uma comunicação global entre esses funcionários, até problemas internos das empresas serão difíceis de solucionar. Com esses acontecimentos as empresas estão investindo em cursos de inglês para seus funcionários e os motivando a aprender o idioma. Essa não é uma tarefa fácil, ainda mais por ser uma mudança que só vai se tornar realidade com o passar dos anos. Mas que será muito produtiva para todos (funcionário e empresa).

Algumas dicas de implementação dadas por presidentes de multinacionais que aderiram a esse novo modo de ser da empresa são: envolver todos os trabalhadores, ou seja, o líder deve apresentar bons argumentos para os funcionários do podem melhorar suas vidas fazendo um curso de inglês; os gerentes devem fiscalizar se os funcionários estão realmente colocando todo aprendizado em prática, se estão interagindo, e chamar atenção de quem insiste em usar a língua materna.