Patchwork! Arte com utilidade.

ANÚNCIO

A principio o que uma pessoa como eu poderia escrever sobre Patchwork? Tenho um perfil completamente diferente de alguém que escreveria sobre esse assunto, mas tenho uma belíssima esposa muito talentosa que um dia se interessou por essa arte chamada PATCHWORK. Em menos de um ano ela passou de aprendiz para professora com loja montada que dá cursos de Patchwork. Não quero dizer que ela já aprendeu tudo que podia, mas ela ensina tudo o que sabe e o que mais importante esta fazendo o que gosta. A loja fica em Londrina, tem um nome não muito original mas bastante sugestivo – Pedaço de pano patchwork.
Fiquei imaginando qual seria a origem deste tipo de trabalho, cuja definição é unir retalhos, formando combinações de cores e desenhos. E após alguma pesquisa descobri que as primeiras evidências do trabalho em Patchwork datam desde 3400 AC. No Egito antigo, os faraós já utilizavam colchas e roupas feitas de sobras de tecidos sob as suas armaduras de ferro. Na Europa, durante a Idade Média, o Patchwork espalhou-se por diversos países como: Inglaterra, Alemanha, França e Itália e chegou aos Estados Unidos através dos seus colonizadores, na minha ignorância antes desta pesquisa obviamente eu achava que o berço do patchwork era os Estados Unidos, estava longe de imaginar que era um trabalho tão antigo.
Achei artigos que diziam ser o patchwork tão antigo quanto a humanidade, pois alegava que quando os primeiros homens juntaram pedaços de pele de animais para se agasalharem, estava nascendo então o patchwork.
Como estava dizendo sobre a chegada do Patchwork nos estados Unidos, foi em meados do século XVII que isso aconteceu. Trazida pelos colonizadores, era comum ver colchas feitas de linho ou lã, em panos inteiros ou a partir de medalhões centrais e bordas, que permitiam o aproveitamento total de retalhos, já que tecidos eram considerados preciosidade, assim como linhas e agulhas (que eram passadas de mãe para filha). As técnicas eram transmitidas pelas mães e avós para suas descendentes, assim surgiram muitas tradições relacionadas a tecidos, cores e desenhos. Uma tradição de meados de 1800 pedia que a moça fizesse doze colchas antes de poder casar, sendo que a última deveria utilizar os blocos Double Wedding Ring (dois anéis de casamento entrelaçados).
De la para cá muita coisa aconteceu, mas acredito que a que mais afetou este mercado foi a invenção da maquina de costura, hoje em dia podemos encontrar maquinas que fazem praticamente de tudo inclusive o caseamento da aplicações de patchwork.
Toda uma industria foi criada em torno desta arte, produzindo muitas ferramentas para facilitar o trabalho de patchwork. Entre as ferramentas indispensáveis para quem trabalha com isso estão a base de corte e o cortador circular (Introduzido no mercado em 1979 pela empresa Olfa cujo inventor foi o Sr Y. Okada). Tenho a impressão que em certa época o patchwork era utilizado para reaproveitar todos os retalhos que de outra forma seriam descartados, principalmente na época da resseção de 1929 nos EUA, e hoje o contraste é que com as ferramentas mencionadas nos usamos peças de tecidos inteiras e as picotamos para produzir os retalhos necessários ao trabalho de patchwork. Hoje em dia obviamente encontramos muitas coisas desenvolvidas especificamente para Patchwork, incluindo tecidos e revistas especializadas.
O Patchwork para alguns é ate considerado como uma terapia ocupacional, para outros como algo viciante e eu tenho visto isso aqui na loja, quem nunca fez após apenas algumas aulas e pronto. Mas para mim como disse no título deste artigo é uma arte, que por sinal muito bonita, que tem alguma utilidade, não é como aquelas coisas que servem só para serem vistas e apreciadas como por exemplos os paineis decorativos, mas também os porta panetone de patchwork, os porta forma, os pegadores de panela quente, as galinha puxa-saco, os estojos que são chamados de necessaire, as sacolas e muitas outras coisas mais…
Marcelo Gameiro
Obs. O meu negocio é outro
Blog pedaço de pano patchwork

ANÚNCIO