Sem fé é impossível agradar a Deus!

Três anos de intensa atividade!

Caminhar ao lado do Senhor Jesus não era nada monótono, em cada povoado, vila ou cidade, sempre havia uma oportunidade para o Mestre realizar uma cura, ensinar ou simplesmente dar uma palavra de conforto.

Dentre a multidão que seguia Jesus, havia um círculo mais íntimo de seguidores, um desses privilegiados era conhecido como Tomé. Após três anos de convivência já era possível perceber que Jesus exalava a verdade, ela era parte da Sua essência, às vezes se manifestava com brandura como quando proferiu o Sermão da Montanha, seu foco foram as bem-aventuranças de quem confia e espera nas Suas promessas, por vezes a verdade era dita com a força da Sua autoridade, como quando expulsou os mercadores do Templo, mas uma coisa é certa: sempre a verdade…

Tomé já sabia disso, e ouvira da boca do próprio Senhor os detalhes do plano de redenção, ouvira sobre o que era necessário acontecer, e como sempre, essa era uma verdade inquestionável.

Cumpridos todos os acontecimentos, lá estavam eles reunidos, envolvidos num sentimento misto de dor e satisfação, tristeza e contentamento, e repentinamente, eis que surge o Mestre, a confirmar aquilo que anteriormente havia dito, depois da humilhação e da dor, depois de três dias de expectativa e silêncio, ali estava Ele, para comprovar que tudo o que se dissera a respeito dEle era verdadeiro, mas naquele momento decisivo e crucial, de extrema importância, alguém estava ausente: Tomé!

-Ele esteve aqui! Nós O vimos! Falamos com Ele! – exclamavam os discípulos.

-Se eu não ver com meus próprios olhos, e mais: se não tocá-lO, de maneira nenhuma vou acreditar!

Após uma longa semana de espera, estavam lá os discípulos, reunidos, quiçá ainda comentando sobre a experiência da semana passada, talvez tentando “provar” para Tomé que Ele estivera mesmo ali, talvez Tomé tentando vencer a sua incredulidade, quando são interrompidos por um sonoro: Paz seja convosco!

E aquela paz que ultrapassa todo o entendimento invade o lugar, já não há mais lugar para a dúvida, para a confusão e para a incredulidade.

-Tomé venha até aqui, toque nas feridas!

E ele agora via, ouvia e tocava em Jesus, era a prova incontestável de que Ele falara toda a verdade!

-Não sejas incrédulo, mas crente! Exortou o Senhor Jesus.

E arrematou: Você creu porque me viu, mas felizes os que não viram e creram!

Algumas pessoas ainda não entederam esse princípio do Reino de Deus. Sob o ponto de vista racional só acreditamos naquilo que vemos, entretanto, na dinâmica do Reino a realidade é outra: precisamos crer para ver! E isso envolve confiança, biblicamente: fé!

Fé para crer sem precisar ver, firme covicção de coisas que se esperam, certeza de fatos que não se vêem, inabalável e absoluta certeza de que o