Um pouco mais sobre: A Embrapa e seus dilemas

A Embrapa ( Empresa brasileira de pesquisa agropecuária ) é uma grande potência quando pensamos em uma empresa geradora de tecnologia e inovação agropecuária. Era, não é mais. Especialmente quando comparada a outras grandes empresas da área como as multinacionais Monsanto e DuPont.

Nos últimos tempos a empresa brasileira tem enfrentado enormes dificuldades para competir com essas grandes multinacionais, principalmente no mercado de biotecnologia. Essa falta de competitividade tem duas principais razões. A primeira delas é estritamente financeira, já que enquanto a Embrapa investe cerca de R$170 milhões anuais em pesquisa e desenvolvimento uma multinacional como a Monsanto investe cerca de R$1,7 bilhão, ou seja, 1000% a mais. A segunda razão tem um embasamento mais ideológico, uma vez que a Embrapa tem como uma de suas filosofias “ir aonde o mercado não vai”, ou seja, ela tem uma função social de levar tecnologia ao verdadeiro homem do campo, e com isso a Embrapa perde um pouco de importância no mercado de geração de tecnologias voltadas à exportação das grandes commodities.

Uma das soluções seria a abertura da empresa para o capital privado, porém o medo de que isso se transforme em uma privatização a médio/longo prazo torna essa tomada de decisão muito delicada. Todavia, alguma coisa deve ser feita pois não podemos mais ficar parados assistindo à grande responsável pela modernização da agricultura brasileira perder lentamente a sua importância e seu brilho.