Em torno de mim

Ponho-me a escrever sobre mim

E não escrevo nada.

O vazio apossou-se de minha alma

E sempre que me busco

Não me encontro

Se amenos encontrasse feridas

Aquelas que o passado causou

Se encontrasse apenas uma noite triste

Ou um sol quebrado

Se pudesse amenos encontrar algo

De que minha esperança e desesperança

Se pudessem agarrar,

Talvez assim eu teria um eu

Uma imagem para poder descrever

Pois, nada se pode dizer

Daquilo que não é, nem talvez será

A minha existência

É tudo o que restou

E agora, tudo me parece distante

Mas nada está mais distante de mim

Do que meu próprio ser

Podeis todos vos pisar no meu não ser

Este não ser enclausurado nas armadilhas do amor

Este não ser que cansou-se de ser

Mas agora, tentando ser

Vê-se aprisionado no caos

E ao seu lado, átomos faltando-lhe com respeito

Mas enfim,

Continuarei procurando por mim mesmo

Quem sabe algum dia eu me encontre!

Pois, se as coisas vieram do nada

É porque o nada é também alguma coisa.

Fidel Jaime Jorge