Liberação miofascial

Liberação Miofascial

A liberação miofascial é uma técnica de estiramento altamente interativa que necessita do “feedback” do corpo do paciente para determinação da direção, força e duração do estiramento, e para facilitar o relaxamento máximo dos tecidos tensos. A liberação miofascial ou estiramento miofascial reconhece que um músculo não pode estar isolado das outras estruturas do corpo. Todos os órgãos do corpo são cobertos por fáscia. Por tanto, todo “estiramento muscular” é na verdade estiramento de uma unidade miofascial. Essa é a base que separa a liberação miofascial de outras técnicas de estiramento.

Durante a liberação miofascial, o fisioterapeuta monitora a tensão tecidual pelo desenvolvimento de uma ligação cinestésica com o paciente através do toque. Essa ligação envolve o acompanhamento do movimento inerente dos tecidos, o ritmo da respiração do paciente, o tônus muscular neurofisiológico e variações desse tônus. Conforme o fisioterapeuta adquire destreza no reconhecimento do tônus e tensão dos tecidos do paciente, ele torna-se capaz de detectar restrições em unidades miofasciais individuais. Conforme essas áreas são localizadas, aplica-se um estiramento localizado de forma gentil. Dessa maneira, as restrições ao movimento eficiente, que não podem ser localizadas e eliminadas por meio de outras técnicas de estiramento são identificadas e tratadas. Todas as alterações de alinhamento que podem pré dispor o paciente a futuras lesões são removidas durante o tratamento do problema atual do paciente.

Dessa forma. O fisioterapeuta, usando a técnica de liberação miofascial trabalha junto com o paciente, não sobre o paciente. O fisioterapeuta é um questionador, não um “expert” inquestionável. O fisioterapeuta quando usa a técnica de liberação miofascial, não planeja a sessão de tratamento de um modo passo a passo (como receita de bolo), ao contrário espera pela direção indicada pelas alterações que o corpo do paciente apresenta e as segue; O estiramento das restrições teciduais que impedem o movimento eficiente não se torna um jogo de poder entre o fisioterapeuta e o paciente. Ao contrário, a orientação da liberação miofascial promove a cooperação e participação ativa do paciente no processo de cura.

O objetivo do tratamento usando a liberação miofascial é facilitar a postura mais eficiente e padrões de movimentos que o paciente pode manter. A disfunção postural e/ou de movimento é analisada e tratada de uma maneira holística, reconhecendo que a limitação em uma parte terá ramificações em todo o corpo. A progressão apresentada pelo paciente é mensurada pela melhora na simetria postural, redução dos pontos gatilhos miofasciais ativos e aumento na quantidade e qualidade dos movimentos.