O CONDOREIRISMO E SEUS POETAS

O CONDOREIRISMO E SEUS POETAS

Autora: Elisa Oliveira da Conceição

A poesia condoreira obteve esta nomenclatura por conta da associação ao condor e outras aves entre estas, o falcão, a águia e o albatroz á liberdade. Os poetas condoreiros as tomaram como simbologia desta geração, que tinha como um de seus ideais as preocupações sociais. Supondo-se também dotados da capacidade de alçar vôos solitários e altos, bem como enxergar a grandes distâncias, identificaram-se com o condor.

Em decorrência dessa identificação obrigaram-se ao compromisso, como poetas-gênios iluminados por Deus, tendo como dever orientar os homens comuns para os caminhos da justiça e da liberdade.

Os poetas condoreiristas eram essencialmente comprometidos com as causas abolicionistas e republicanas, e por conta disso desenvolveram a poesia social, que tinha como objetivo convencer o leitor-ouvinte e conquistá-lo para fazer parte das causas defendidas por eles.

Eram influenciados pelo escritor Frances Victor Hugo. Assim, a geração condoreira também ficou conhecida como geração hugoana. Em nosso país, essa corrente literária encontrou vários adeptos. Entre estes podemos citar Castro Alves, Pedro Calazans, Pedro Luís e até mesmo em determinados pontos em suas obras, Sousândrade.

Por fim, considerando-se que o Romantismo é naturalmente egocêntrico, os poetas condoreiros bem como a poesia condoreira representaram uma mudança profunda: o centro de preocupação da linguagem desloca-se do eu, ou seja, o emissor para os assuntos sociais como a Abolição e a República, que se tornaram mais visados em nossa sociedade.