O que é real?

Há algum tempo atrás quando éramos crianças, parte de nosso descanso e distração se dava em frente a uma televisão; filmes com abordagens futuristas pregavam uma sociedade altamente tecnológica e em meio a tal ficção uma pergunta ficava, será que um dia vai ser assim?

Bem, agora é 2012 e em pleno século XXI alguns daqueles filmes futuristas ficaram um pouco antigos, não só pelo seu ano de lançamento, mas também pelo seu teor. Vivemos um presente que já foi um futuro surreal, agora aquilo que antes nunca seria já é, então o que será? Você pode está se perguntando que loucura é essa, eu pergunto qual a realidade na verdade.

O homem não tem muita afinidade com a palavra limite. Superação é um termo bem mais apropriado ao ser humano, que não desiste, não descansa e não se limita a uma verdade, se é que existe mais que uma. A questão é que muitas barreiras foram transpostas, muitos mitos desacreditados e assim fica difícil de demarcar a capacidade do homem. Depois de tanto empenho o mundo evoluiu bastante, nos proporcionando viver em uma era altamente tecnológica.

Eu gosto do novo, da conquista, da busca e da determinação para chegar ao quase impossível, mas sinto falta do passado; sinto falta das velhas amizades, do tempo que conversávamos pessoalmente ao invés de e-mail, Skype e outras tecnologias disponíveis no momento. As novidades não estão chegando para somar, elas vêm substituir; os velhos hábitos, as culturas antigas, princípios, valores, e muitas vezes para matar, como por exemplo, a natureza.

Não podemos deixar que a luta para tornar o sonho uma realidade destrua o que é real agora, é preciso evoluir com equilíbrio, preservando tudo que faz bem. Sendo assim, prossiga, conquiste, cresça, mas não permita que sua determinação para conseguir algo maior te segue e mate o que existe de melhor em você, pois isso sim é bem real.