A vingança do Socialismo

“Este é tempo de divisas, tempo de gente cortada… É tempo de meio silêncio, de boca gelada e murmúrio, palavra indireta, aviso na esquina. ”CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE.

Veja se não parece que estamos falando de algo que está ocorrendo hoje e não em algo que ocorreu de 1964 até 1989.

Os socialistas Brasileiros parecem que só conseguiram herdar a tal da “herança maldita”. Aprenderam tudo, mais tudo mesmo com os tais ditadores. Aprenderam a arrochar salários, aprenderam a maquiar manchetes, aprenderam a matar, a roubar e o pior, aprenderam a mentir. Será que isto é uma síndrome ainda não descoberta por nossos sociólogos? Será que a força do poder é que destrói coisas belas? Os sofrimentos pelos quais passaram os homens e mulheres em busca de uma sociedade mais justa e mais igualitária são os mesmos que mesuraram com o erário público, astronômicas indenizações, por conta dos sofrimentos sofridos nos calabouços do “Doi-Code”. É, mensuraram seus sofrimentos físicos e morais por dinheiro, e gostaram tanto do expediente que entraram para política e estão enriquecendo, fazendo acordos com a maior estatal do país, a Petrobrás, estão manipulando os três poderes e só nos resta a imprensa, mesmo sem toda esta liberdade, já que precisa da propaganda do Estado para sobreviver, mas ainda para o homem livre, de moral e de respeito, ainda acredita nela como sua taboa de salvação.

Conscientização, esta é a palavra chave. Quando tivermos um povo maduro politicamente e, por conseguinte consciente, não haverá mais espaço para tantos pilantras de plantão, que aproveitam-se de um povo humilde, mal esclarecido e faminto, lhes oferecem a privada para lavarem e para os filhos uma escola sem carteira e com professores pessimamente preparados para ensinar. É este moinho que estes hipócritas não querem que pare, o movimento que faz gerar esta energia é provido desse povo, que se soubesse a força que tem já teria modificado o quadro insustentável do qual vivemos, sem segurança, sem educação, sem moradia e sem perspectiva de melhoras.

Mas vamos para frente, todo ano tem carnaval e de quatro em quatro anos, eleições.