Euforia e Frustração

Freud disse “de perto ninguém é normal”. Ele quis dizer que não julgue, você também tem suas idiossincrasias, defeitos (aos olhos dos outros) e até mesmo qualidades(id).

No caso específico de euforia e frustração, ocorre em indivíduos que não conseguem planejar a médio ou longo prazo, apenas conseguem ver as coisas na curta distância. Por exemplo, não conseguem se planejar para um projeto profissional ou pessoal que dure acima de um ano (um lançamento de produto, com duração de 1 ano, por exemplo); não conseguem planejar a vida, para relacionametnos, para acompanhamento na educação de filhos (ela já é mãe?); têm dificuldade de concentração; têm déficit de atenção; não gostam muito de ler, e se o fazem não são capazes de reter o conteúdo.

Os perfis de pessoas nessa categoria são geralmente de pouco sucesso ou meias conquistas, quando não se associam ou compõem parcerias/equipes com outras de perfil mais determinado ou baseado na missão, com contemplação meritocrática.

Pelo fato de não conseguirem concentrar-se, contentam-se com o pouco que conseguem e com o resultado que isso provoca.

Essas pessoas constituem um grupo com características comuns facilmente identificáveis, e tendem a ser exploradas em suas relações pessoais e profissionais. Exemplo: sub emprego – pq não conseguem assumir missões maiores – relacionamentos fracionados, pouco consistentes, além de não conseguirem transmitir confiança já logo numa entrevista. Pessoalmente passam imagem de leviandade, ninguém leva a sério. Não sei como te dizer isso, mas por ser uma mocinha, precisa ter cuidado, os rapazes confundem euforia com fogo, ela pode – por necessitar constantemente de atenção – ceder facilmente, e suas relações pessoais vão resumir-se a ser a “engraçadinha” da tuma que ninguém leva a sério, mas leva fácil pra cama.

A frustração começa quando o tempo mostra que as pessoas que ela conhecem e de idade +/- igual a dela indo bem na carreira e na vida, enquanto ela continua brincando de boneca ou de carrinho -força da experessão. O indivíduo passa então a descontar (inconscientemente, algumas vezes) essa frustração nas coisas – e principalmente pessoas- que estiverem mais próximas. Ao longo prazo, essas pessoas ao lado dela – se não compreenderem, tendem a afastar-se, e ela fica isolada.

É comum alterações de humor (brigas) no trabalho, no trânsito, em casa, sem real motivo, estar o tempo todo com os nervos à flor da pele, ofender, elevar o tom de voz, desprezar o que as pessoas fazem ou dizem (são sintomas da frustração). Esse comportamento parece-se com o da frustração que segue a euforia no consumo de algumas drogas, pq. despertam e ativam as mesmas regiões no cérebro.

Experimente sondar as pessoas da família, sem despertar curiosidade e pergunte sobre como anda o estado de humor, se ela tem tido alterações, se fica irritadiça sem motivo aparente. Sem for o caso, vão lhe dizer que ela se dá melhor com amigos que em casa – te lembra algo? isso mesmo: adolescente. O Eufórico dessa categoria não consegue se livrar da adolescência, esquece de crescer e pensa que a vida é uma festa todos os dias, tem hábitos, costumes, linguajar e jeito de vestir daquela fase da vida (e viram motivo de piada – mas como chamam a atenção, gostam, mas nem sabem que o motivo é outro).

Nova frustração, quando os amigos – que às vezes não agem assim como tão amigos – começam a julgar seu comportamento, (adolescente acha-se super descolado e engraçadinho, não é mesmo? rs) e a deixam de lado. Como qq adolescente ela não vai perceber isso de cara.

Identificados esses sinais, procure o acompanhamento de um profissional de comportamento.

Dra. Fabiola Liber