O que é um Acidente Vascular Encefálico e quais os danos causados a uma pessoa?

O AVE, ou Acidente Vascular Encefálico é a terceira maior causa de morte no mundo desenvolvido, atrás apenas das doenças coronárias e de todos os tipos de câncer.

Para entendermos o que AVE, precisamos entender algumas funções cerebrais.

O cérebro possui um mecanismo que depende do fluxo sanguíneo adequado. É um sinal de desenvolvimento rápido de uma perturbação focal da função cerebral de possível origem vascular e com mais de 24 horas de duração.

O AVE pode causar danos severos a áreas do cérebro que controlam funções vitais, estas funções podem envolver capacidade motora, comunicação, emoções e consciência, entre outros. 20% dos casos ficam com seqüelas definitivas.

Classificação: embora existam vários tipos de AVE, é possível dividí-lo em duas categorias diferentes: hemorrágica e isquêmica. Veja:

a) Isquêmico – sua causa é a diminuição do fluxo sanguíneo cerebral vascular (CARLOTTI JUNIOR; COLLI; ELIAS JUNIOR, 2003), sendo que a irrigação e oferta de O2(oxigênio) são inadequadas – 85% dos casos.

b) Hemorrágico – sangramento dentro do cerebelo ou tronco cerebral, geralmente causado pela ruptura de um vaso penetrante. Esse rompimento faz com que o sangue seja extravasado sobre pressão no parênquima cerebral (ANDRÉ, 1999).

Algumas características do AVE, tanto isquêmica, quanto hemorrágica, podem ser verificadas abaixo, sendo:

a) Trombose cerebral: que é um coágulo que se forma dentro de um grande vaso sanguíneo do cérebro que gradualmente diminui ou para o suprimento de sangue a determinada área.

b) Hemorragia cerebral: é a ruptura de um vaso sanguíneo, geralmente uma artéria do cérebro, resultando uma hemorragia e num aumento da pressão na área afetada.

c) Embolia cerebral: é resultado de uma entrada de um coágulo ou de gordura na corrente sanguínea arterial, dentro do sistema circulatório, e que eventualmente se localiza num vaso do cérebro, interrompendo então o suprimento sanguíneo à área irrigado por este vaso.

Para que se obtenha resultados dinâmicos e progressivos, é um importante um trabalho multidiscilplinar: Médicos, Enfermeiros, Terapeuta ocupacional, Assistente social, Fonoaudiólogo, Psicólogo e Professor de Educação Física.

Toda e qualquer atividade física nestas situações devem ser avaliadas e prescritas por um médico.